PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Folha: Flavio Cavalcanti sabia deixar seu espectador na ponta da cadeira

A trajetória de Flávio Cavalcanti (1923-1986) é contada em livro escrito por seu filho - Reprodução / Internet
A trajetória de Flávio Cavalcanti (1923-1986) é contada em livro escrito por seu filho Imagem: Reprodução / Internet
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mauricio Stycer

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o "Lance!" e a "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Adeus, Controle Remoto" (editora Arquipélago, 2016), "História do Lance! ? Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo? (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011). Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Colunista do UOL

23/01/2022 07h01

Flavio Cavalcanti (1923-1986) foi um dos grandes apresentadores de programas de auditório da televisão brasileira entre as décadas de 1950 e 1980. Conseguiu conquistar muita fama e alguma fortuna na mesma época em que os dois maiores da história, Chacrinha e Silvio Santos, também brilhavam.
(...)
O recém-lançado "Senhor TV: A Vida com Meu Pai, Flavio Cavalcanti" (Matrix, 200 págs., R$ 46), acrescenta novidades. Primeiro, o olhar de dentro, do filho que foi braço direito do pai, e o acompanhou em inúmeras aventuras, dentro e fora da TV, algumas delas malsucedidas.
(...)
Teatral, quebrava no ar os discos dos artistas que o desagradavam. Exibia reportagens de grande apelo, muitas vezes sensacionalistas. Promoveu concursos inusitados, como "a garota de óculos mais bonita do Brasil". Introduziu os jurados, que incorporavam personagens, com opiniões muito distintas.

Íntegra aqui