PUBLICIDADE
Topo

Pré-candidata 'voadora' a prefeita de Ribeirão Pires diz que quer 'ir além'

Paulo Sampaio

Nascido no Rio de Janeiro em 1963, Paulo Sampaio mudou-se para São Paulo aos 23 anos, trabalhou nos jornais Folha de S. Paulo e Estado de S. Paulo, nas revistas Elle, Veja, J.P e Poder. Durante os 15 anos em que trabalhou na Folha, tornou-se especialista em cobertura social, com a publicação de matérias de comportamento e entrevistas com artistas, políticos, celebridades, atletas e madames.

Colunista do UOL

20/09/2020 05h00

A comerciante Marisa Reinoso, 58 anos, pré-candidata a prefeita de Ribeirão Pires, na região metropolitana São Paulo, diz que sempre adorou desafios. Na semana passada, ela enfrentou um dos maiores de sua vida. Sobrevoou a cidade com uma foca de pelúcia nas costas, os cabelos ao vento e uma trilha sonora de "emoção".

"Não me preocupo com o ridículo. Quero ir além, mostrar que posso fazer muito pela cidade", diz ela, ao comentar a peça publicitária de maior sucesso em sua campanha até agora.

Postado na quinta-feira, o vídeo com a simulação do sobrevoo recebeu até ontem 300 mil visualizações no Twitter. Na obra, Marisa exalta a beleza dos pontos turísticos de Ribeirão Pires, avista malfeitores lá de cima e conclama a população a limpar a cidade dos corruptos.

Matraca-trica e Fofoquinha

Para mostrar sua coragem, ela apazigua o coração da foca de pelúcia, cujo personagem foi inspirado no desenho animado "Matraca-trica e Fofoquinha", clássico dos anos 1960. Por sua vez, a referência do papel desempenhado por Marisa é a dona Florinda, do seriado "Chaves".

"Olha pra baixo, Fofoquinha!", diz ela.

"Eu não quero, tô com medo!", reage a foca.

"Pelo amor de Deus, você não tenha medo!", esbraveja a pré-candidata, que concorrerá pelo Solidariedade.

Das Casas Próprias

Na cidade de 125 mil habitantes, a comerciante é conhecida como Marisa das Casas Próprias, uma alusão ao bairro popular onde instalou sua primeira loja de material de construção — chegou a ter cinco — e mora até hoje. Casada há 38 anos, ela teve três filhos, criou alguns agregados e vive na construção de 300 metros quadrados que erigiu em cima da loja.

Seu marketing é o da mãe de família trabalhadora, que nunca pensou em concorrer a cargo público e só decidiu se candidatar porque "Ribeirão Pires precisa de alguém austero, sem interesse em fazer politicagem, para voltar a ser o que era". "As gestões foram piorando, a cidade regrediu muito. Está aquém de Mauá! (município vizinho). Discordo da atual administração em tudo. Falta coordenação, comunicação, respeito. O atual prefeito governa com liminar e amarga um índice de rejeição de 60%."

Marisa das Casas Próprias no estúdio: "Não me preocupo com o ridículo"  - Marcelo Liochi/Divulgação - Marcelo Liochi/Divulgação
Marisa das Casas Próprias no estúdio: "Não me preocupo com o ridículo"
Imagem: Marcelo Liochi/Divulgação

Não-contaminada

Em seu desprezo "pelo que fizeram com Ribeirão Pires", Marisa afirma que o principal adversário dela, o ex-prefeito Clovis Volpi (PL), "tem 178 processos nas costas". "Um deles, de R$ 100 milhões, por improbidade administrativa."

Procurado, Clóvis não respondeu à coluna.

Marisa das Casas Próprias tem mais ou menos o mesmo discurso do ex-presidenciável João Amoedo (Novo), que propunha uma "faxina ética" promovida por um grupo de não-contaminados pela política tradicional. Como se só houvesse corrupção na política.

Todo mundo?

Amoedo foi o candidato de Marisa no primeiro turno das eleições. No segundo, ela votou "contra o PT".

"Você também, né?", pergunta ao repórter. E emenda: "Todo mundo!"

Marisa não é de esperar que os outros falem por si. Como se considera perfeccionista, austera, incorruptível, comprometida, correta, não parece passar por sua cabeça que existam outras certezas que não as dela. Seus três filhos são médicos, profissão que, por coincidência, ela teria seguido se não tivesse precisado trabalhar desde os 14 anos.

"Eu servia café em uma favela. Secava a calça no ferro para ir trabalhar, porque não tinha outra. Meu pai era operário de fábrica, minha mãe costurava e lavava roupa pra fora", diz a pré-candidata, sem nenhuma afetação de autopiedade ou demagogia. Não combina com a postura pragmática que ela adota em tudo.

"Comecei a cursar direito aos 33 anos, para entender melhor de leis trabalhistas e de código de defesa do consumidor. Era importante para mim naquele momento, por causa das lojas", lembra.

Na praça em frente a Prefeitura da cidade - Foto: Jorge Lucas - Foto: Jorge Lucas
Na praça em frente a Prefeitura da cidade
Imagem: Foto: Jorge Lucas

Ímã na geladeira

Sua fala é categórica, cheia de assertivas como: "Eu sou aquilo que me permito ser" (de autoria própria, pregada na geladeira com um ímã); ou "A depressão não me pega, ah, não mesmo".

Ao declarar as próprias qualidades, a comerciante o faz na maior naturalidade. Quando alguém pergunta se ela tem algum defeito, responde: "A teimosia", sem parecer convencida de que se trata mesmo de um defeito. Outro defeito: "Sou guerreira". Outro: "Não tenho medo de nada."

Filha de Ribeirão Pires

A candidatura foi proposta a ela em fevereiro, pelo presidente do diretório municipal do Solidariedade em Ribeirão Pires, Julio Maria de Lima. Ela conta: "Eu testei ele. Perguntei: 'O que eu vou ganhar em troca?' Ele respondeu: 'Você é filha de Ribeirão Pires. Tem obrigação de devolver à cidade tudo o que ela te deu'. Era o que eu queria ouvir, então topei."

A pré-candidata conta que tem recebido ataques machistas "inacreditáveis": "Perguntam se eu não tenho roupa para lavar, dizem que eu deveria estar no fogão, cozinhando. Os homens não querem as mulheres voando." Em sua empresa, 60% dos funcionários são mulheres.

Rosa e uva

Marisa das Casas Próprias recebeu a coluna no estúdio onde gravou o vídeo do voo, no centro de Ribeirão Pires. Maquiagem caprichada, cabelo imexível, ela vestia uma camisa de seda rosa com bolinhas e uma calça de sarja "uva". Simpática, acolhedora, disponível, ela conta que comprou a roupa na loja By Neuma Alves.

"Ribeirão Pires tem tudo", afirma. A calça e a blusa custaram R$ 360, mas ela diz que ainda deve a calça.

Na loja By Neuma Alves, onde comprou a roupa que está usando: "Ribeirão Pires tem tudo!" - Foto: Jorge Lucas - Foto: Jorge Lucas
Na loja By Neuma Alves, onde comprou a roupa que está usando: "Ribeirão Pires tem tudo!"
Imagem: Foto: Jorge Lucas

Humor como resposta

Os profissionais que produziram o vídeo acompanharam a conversa com a pré-candidata. O diretor artístico, Emerson Muzeli, 49, e o redator, Marcelo Liochi, 53, explicam que os ataques a Marisa são seu combustível:

"Não queríamos rebater com baixaria. Nossa ideia era fazer algo à altura de uma mulher simples de coração, alvejada por coronéis. O vídeo é propositalmente tosco, porque achamos que o humor é a melhor resposta", dizem.

Entre outras referências, eles citam o voo do personagem João Gibão (Juca de Oliveira) na novela Saramandaia (Dias Gomes/1976), quando foi encurralado pelos jagunços do rival.

Oriundos da TV Globo, Muzeli e Liochi foram respectivamente diretor-geral e assistente de direção do humorístico Adnight (2016), estrelado pelo comediante Marcelo Adnet.

Quantia irrisória

A dupla afirma que a quantia gasta na produção do vídeo com Marisa foi irrisória. Paramentada com uma capa vermelha de cetim, ela se deitou de bruços em uma mesa, com a foca inanimada nas costas; munida com uma placa leve, a assistente de direção, Letícia Figueiredo, fez "vento" na direção dos personagens.

O próximo vídeo vai ser um debate entre São José e Santo Antônio, os mais populares da região, intitulado "Santo de Casa não Faz Milagre", com mediação da Pedra do Elefante, ponto turístico da cidade.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL