PUBLICIDADE
Topo

Moro na Câmara: na pauta, PEC da segunda instância e morte de miliciano

Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa “O É da Coisa”, na BandNews FM. No UOL, Reinaldo trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Colunista do UOL

12/02/2020 20h13

Em audiência pública na Câmara, nesta quarta (12), o ministro Sergio Moro (Justiça) disse que cabe às autoridades da Bahia explicar as circunstâncias da morte de Adriano da Nóbrega, ex-capitão da PM apontado como chefe de milícia no Rio de Janeiro, no último domingo (9).

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública da Bahia, Adriano, que é ligado ao senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), foi morto durante uma operação policial. O ex-capitão foi encontrado no município de Esplanada (BA) e, segundo a pasta, quando os policiais chegaram ao local, o ex-PM disparou e acabou ferido na troca de tiros.

Moro falou sobre o caso na comissão especial da Câmara sobre a PEC (proposta de emenda à Constituição) que determina o cumprimento da pena após condenação em segunda instância em sessão que durou cerca de quatro horas.

Ele foi questionado sobre a ausência do nome de Adriano da lista dos criminosos mais procurados do Brasil divulgada pelo Ministério da Justiça há duas semanas. À época, a pasta justificou que Adriano não respondia a acusações interestaduais, porém, a relação incluía outros dois milicianos do Rio.(...)

Leia a íntegra na Folha.

Reinaldo Azevedo