PUBLICIDADE
Topo

Minha receita para o Guedes, o nosso ministro partido ao meio: mais grana!

Paulo Guedes com máscara durante coletiva sobre medidas do governo para conter efeitos negativos na economia decorrentes da epidemia de coronavírus. Até agora, muito papo e pouco proveito - AFP
Paulo Guedes com máscara durante coletiva sobre medidas do governo para conter efeitos negativos na economia decorrentes da epidemia de coronavírus. Até agora, muito papo e pouco proveito Imagem: AFP
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa “O É da Coisa”, na BandNews FM. No UOL, Reinaldo trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Colunista do UOL

30/03/2020 08h15

Até o Posto Ipiranga de Bolsonaro se convenceu da necessidade de isolamento. Falta agora agilizar a liberação de dinheiro e fazê-lo chegar, de fato, às mãos das empresas e dos pobres.

Informa a Folha:
O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o período de isolamento como medida de combate à pandemia de coronavírus pode ser mantido por dois ou três meses, mas que depois desse período é preciso liberar as pessoas para o trabalho sob o risco de desmontar o país

"Esse equilíbrio é difícil. Coisa de dois, três meses vai rachar para um lado ou para o outro. Ou funciona o isolamento em dois meses ou vai ter que liberar porque a economia não pode parar também, senão desmonta o Brasil todo", disse Guedes.

"Eu como economista gostaria que nós pudéssemos manter a produção e voltar mais rápido. Eu como cidadão, seguindo o conhecimento do pessoal da saúde, ao contrário, quero ficar em casa e manter o isolamento."
(...)

ENCERRO
Sugiro a Guedes uma ação que vai reunificá-lo, em vez de ser este ministro partido ao meio. Que amplie o percentual do PIB em ajuda direta aos trabalhadores, com dinheiro diretamente nas mãos dos pobres, e às empresas.

Isso pode lhe fazer bem como ministro.

Isso pode lhe fazer bem como cidadão.

Reinaldo Azevedo