PUBLICIDADE
Topo

O diabo e o anjo disputam Lula; chifrudo leva a melhor; Bolsonaro agradece

Lula: é provável que petista tenha sentido vontade de disputar o noticiário negativo com Bolsonaro. Conseguiu - montagem sobre foto reprodução do Youtube
Lula: é provável que petista tenha sentido vontade de disputar o noticiário negativo com Bolsonaro. Conseguiu Imagem: montagem sobre foto reprodução do Youtube
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa “O É da Coisa”, na BandNews FM. No UOL, Reinaldo trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Colunista do UOL

20/05/2020 18h17Atualizada em 21/05/2020 09h09

Sei lá... Deve ter batido em Lula, assim, uma certa carência, alguma síndrome de abstinência, uma certa melancolia do isolamento social. E então o diabo soprou ao seu ouvido esquerdo:
-- Companheiro, fale uma grande bobagem. O Jair Bolsonaro não pode monopolizar o noticiário com suas sandices, seus cretinismos, sua dança macabra à beira do abismo do país e aos pés da montanha de mortos. Nós também temos de dizer alguma coisa. Já faz tempo que a gente não escandaliza ninguém. Veja, parece que o PT nem existe, que está alheio à crise. Não pode ser assim".

O anjo acordou da soneca da quarentena sentindo aquele cheirinho de enxofre que o capiroto exala quando fala, ouviu tudo, calado, e ponderou:
-- Pô, Lula, não entra nessa, não! O cara tá se estabacando sozinho. Se há alguma coisa politicamente virtuosa para nós, agora, é isto: ele se queima por conta própria. Não há uma só dificuldade que ele esteja atravessando que possa ser atribuída a algo que tenhamos feito. É verdade! A gente aparece pouco. Mas nem é mesmo a hora de aparecer. Fica parecendo exploração da crise.

Aí o diabo -- vocês sabem: é diabo porque é velho, não porque seja sábio --, experiente na arte da manipulação, continuou a tentar a orelha do Companheiro Zero Zero:
-- Qual é, Lula!? A gente não tá quieto por estratégia, mas por falta do que dizer. Não dá para continuar assim, não. Temos de ir pras cabeças. Vamos rasgar o véu. O neoliberalismo já era. O vírus fez por nós o que nunca conseguimos fazer sozinhos: provar que, sem Estado, nada se faz. Tá vendo? A quem recorreram agora? A gente sempre tentou provar que o Estado é essencial para salvar a humanidade do apocalipse. Taí! Os neoliberais vituperaram contra as medidas de assistência social, só falam em vender, tudo: vender, vender, vender... E olha aí. Imagine se não fosse o Bolsa Família que você inventou..."

— O companheiro diabo tem razão...

Lembra o anjo:
-- Lula, nem foi você, né? Você reuniu os programas que havia no governo FHC e mudou de nome. É verdade. Elevou o atendimento de cinco milhões de família para uns 11 milhões. Mandou bem!

Aí o rabudo entra em ação:
-- Tá vendo? Esse aí nem para reconhecer a sua grande obra. Ah, lembra aqueles tempos do "nunca antes na história deste país", quando a gente descia o sarrafo nas elites, ainda que os empreiteiros e os banqueiros vivessem em lua de mel com a gente? Vamos lá. A gente falava tudo o que dava na telha. Era uma delícia. Esse negócio do Bozo, de ficar rimando cloroquina com tubaína é coisa de amador. A gente manda muito bem quando fala a primeira porcaria que pinta naquela parte do cérebro que dá traço... O negócio é falar primeiro, Lula, e pensar depois. Você vai ver: vamos virar manchete na hora.

Prudente, o serzinho alado agitava-se nervosamente:
-- Vai dar merda!

E seu oposto:
-- Não roube meu vocabulário. Vamos lá, companheiro Lula, diga a primeira coisa que lhe veio à mente.

E Lula disparou:
-- Quando eu vejo os discursos dessas pessoas, quando eu vejo essas pessoas acharem bonito que 'tem que vender tudo o que é público', que 'o público não presta nada', ainda bem que a natureza, contra a vontade da humanidade, criou esse monstro chamado coronavírus. Porque esse monstro está permitindo que os cegos comecem a enxergar que apenas o Estado é capaz de dar solução a determinadas crises. Essa crise do coronavírus, somente o Estado pode resolver isso, como foi a crise de 2008.

O diabo deu uma gargalhada de satisfação:
-- Isso! É perfeito! Nem eu conseguiria dizer melhor! É isto! O vírus veio para instruir a humanidade! A gente sabe fazer as coisas. Deus, o mestre desse aí, é que faz merda. Se ficar irritado, mata todo mundo afogado, sem critério. Tem um chilique, tome chuva de enxofre em Sodoma e Gomorra só porque viu a turma brincando de pôr aquilo naquilo... Que é que tem? É bem verdade que deve ter caído um meteoro por lá, né? Mas sabe como é o tal Senhor! Parece você e o Bolsonaro: sempre chamando para si as glórias. Mandou bem. O vírus não acabou com tudo. Matou alguns milhares só.

A anjo desiste:
-- Tá bom, Lula. Nem o Bolsonaro fez por si mesmo o que você está fazendo por ele.

O resto é história.

Dada a repercussão da fala do companheiro Zero Zero, o anjo foi chamado para fazer assessoria de imprensa. E ditou a Lula o seguinte texto:
-- Utilizei uma frase totalmente infeliz, uma frase que não cabia, e se alguma pessoa ficou ofendida, se algum dos 210 milhões de brasileiros ficaram ofendidos, todo mundo sabe que a palavra 'desculpa', ela foi feita para a gente utilizar com muita humildade porque eu sou um ser humano movido a coração e eu sei o sofrimento que causa a pandemia, eu sei o sofrimento que causa uma pessoa ver seu parente ser enterrado sem poder sequer acompanhar. Eu acredito piamente que enquanto não tiver remédio a melhor solução para que a gente evite pegar a doença ou passar a doença é ficar em casa. Então, se algumas pessoas ficaram ofendidas, com a frase, eu peço desculpas porque a frase não cabia naquilo que eu queria falar."

Enquanto isso, o diabo conversava com o anjo de Bolsonaro, se é que me entendem:
-- Viu como é fácil?

Reinaldo Azevedo