PUBLICIDADE
Topo

Moro não foi convidado nem participará de comício virtual pró-democracia

Reprodução
Imagem: Reprodução
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa “O É da Coisa”, na BandNews FM. No UOL, Reinaldo trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Colunista do UOL

25/06/2020 09h09

O ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sergio Moro não foi convidado — e, que eu saiba, também não se convidou — para o comício virtual em defesa da democracia que está marcado para amanhã. Sim, devo informar ao leitor: estarei presente. Distante, mas muito perto, como pedem estes dias, o que não esfria o ânimo de ninguém.

A exemplo do que se viu, por exemplo, com o manifesto "Estamos Juntos", trata-se, vá lá, de uma frente ampla, mas de propósito — a defesa da democracia, que está, sim, sob agressão —, não de partidos, de ideologias, de correntes, sei lá. Ainda que as pessoas possam pertencer a partidos, a ideologias, a correntes.

Não se trata de juntar alhos com bugalhos para disputar a eleição, na certeza de que se está a enfrentar um adversário pior do que a soma de todos nós. Isso já seria disputa pelo poder. Não se cuida disso. Dessa questão, os partidos e seus representantes se encarregarão na hora adequada, com seus valores, sua ideologia, sua pauta.

O que une pessoas de pensamentos distintos no comício virtual é a preservação de valores civilizatórios que estão consolidados na Constituição e que hoje estão sob agressão permanente.

Sim, a marca desse comício virtual é a diversidade. Aliás, a diversidade é a sua razão de ser desde que esteja firmado o compromisso primeiro: com uma sociedade aberta, plural, democrática e de direito.

Até onde sei, participam, entre outros, Marina Silva (Rede), Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT), Flávio Dino (PCdoB), Bruno Araújo (PSDB), Guilherme Boulos (PSOL), Luciano Huck e FHC. Também estarão representados os movimentos "Estamos Juntos" e "Somos 70%".

Acho que ninguém alimenta a ilusão de ver todas essas pessoas num mesmo palanque no próximo pleito para a Presidência, não é mesmo?

"Então é contra Jair Bolsonaro?" Seria reduzir o alcance da iniciativa, acho eu. É a favor da democracia e de seus valores civilizatórios. Entendo — e falo por mim — que Bolsonaro é pequeno demais para ser o polo oposto da grandeza de propósitos, embora esteja, com efeito, no polo oposto.

Até o comício virtual!

Reinaldo Azevedo