PUBLICIDADE
Topo

Reinaldo Azevedo

Covid mata por dia no país 6 vezes vítimas do Líbano, que comovem Bolsonaro

Reprodução/Youtube
Imagem: Reprodução/Youtube
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa “O É da Coisa”, na BandNews FM. No UOL, Reinaldo trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Colunista do UOL

11/08/2020 09h00

É claro que não tenho nada contra a que o Brasil integre um esforço humanitário em favor do Líbano.

Mas Jair Bolsonaro conseguiu tornar indecente a mobilização.

Morrem por aqui, por dia, mais de seis vezes o que matou a explosão em Beirute.

E, no entanto, o que vemos é um comportamento reiteradamente indecente. O último esforço é para jogar a responsabilidade nas costas dos governadores e prefeitos, com o governo mentindo estúpida e miseravelmente sobre os números.

Escrevo lá no título que as vítimas no Brasil são seis vezes (um pouco mais) do que as do Líbano, "que comovem Bolsonaro". A propósito: comovem mesmo ou é uma tentativa de diminuir o desgaste de sua imagem internacional? O que o impede de dizer também nesse caso, ainda que intimamente: "E daí? Não sou coveiro"?

Em havendo o auxílio, nada contra a que o ex-presidente Michel Temer chefie a missão, dadas as suas origens.

O ponto não é esse. Tal esforço poderia não contrastar com a insensibilidade e a estupidez do governo federal no trato da Covid-19.

Não tem jeito. Essa conta é inevitável.

Conviria que Bolsonaro conseguisse, primeiro, dar uma sepultura àqueles que sua política matou e tem matado.

Reinaldo Azevedo