PUBLICIDADE
Topo

Cidade de SP melhora nota em ranking Covid-19 de transparência

18.mai.2020 - O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB-SP), durante coletiva de imprensa sobre a crise do coronavírus - Paulo Gueret/Agência O Dia/Estadão Conteúdo
18.mai.2020 - O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB-SP), durante coletiva de imprensa sobre a crise do coronavírus Imagem: Paulo Gueret/Agência O Dia/Estadão Conteúdo
Rogério Gentile

Rogério Gentile é jornalista formado pela PUC-SP. Durante 15 anos, ocupou cargos de comando na redação da Folha de S.Paulo, liderando coberturas como a dos ataques da facção criminosa PCC, dos protestos de 2013 e das eleições presidenciais de 2010 e 2014, entre outras. Editou a coluna Painel e o caderno Cotidiano e foi secretário de Redação, função em que era responsável pelas áreas de produção e edição do jornal. Atuou como repórter especial da Folha de 2017 a 2020 e atualmente é colunista.

Colunista do UOL

24/06/2020 09h56

A cidade de São Paulo melhorou sua nota em ranking que analisa a transparência em relação a informações sobre as contratações emergenciais durante a pandemia.

Passou de 49,3 pontos (regular) no mês de maio para 82,28 (ótimo) em junho, segundo avaliação que deverá ser divulgada na próxima semana.

A nota, que pode variar de zero a 100, é atribuída pela ONG Transparência Internacional Brasil. A entidade avalia o portal de 26 governos estaduais, do Distrito Federal e de 26 capitais.

Por conta da pandemia, houve o relaxamento nas regras de controle das compras públicas de bens e serviços destinados ao enfrentamento do coronavírus. A medida provisória 926/20 autorizou, por exemplo, a não realização de licitação em muitas situações a fim de agilizar as contratações. Sem essa medida, compras que foram realizadas em alguns dias poderiam demorar meses.

O objetivo do ranking é justamente verificar se, no momento em que os governos tem ampliado significativamente os gastos, as informações sobre as contratações emergenciais estão divulgadas com a transparência necessária. "Somente com transparência é possível evitar o desperdício e corrupção", diz a ONG.

No ranking publicado no mês passado, o Estado de São Paulo foi classificado como o penúltimo colocado, com 27,8 pontos (ruim). O Espírito Santo era o mais bem avaliado, com 97,4 (ótimo)

Entre as capitais, a campeã foi João Pessoa, na Paraíba, com 88,6 pontos (ótimo). A cidade de São Paulo era a nona colocada, com 49,3 pontos (regular).