PUBLICIDADE
Topo

Acordo judicial encerra polêmica sobre estátua de Sócrates

Corinthians expõe estátua de Sócrates e resgata faixa pró-democracia de 1983 - Alan Morici/AGIF
Corinthians expõe estátua de Sócrates e resgata faixa pró-democracia de 1983 Imagem: Alan Morici/AGIF
Rogério Gentile

Rogério Gentile é jornalista formado pela PUC-SP. Durante 15 anos, ocupou cargos de comando na redação da Folha de S.Paulo, liderando coberturas como a dos ataques da facção criminosa PCC, dos protestos de 2013 e das eleições presidenciais de 2010 e 2014, entre outras. Editou a coluna Painel e o caderno Cotidiano e foi secretário de Redação, função em que era responsável pelas áreas de produção e edição do jornal. Atuou como repórter especial da Folha de 2017 a 2020 e atualmente é colunista.

Colunista do UOL

04/07/2020 09h06

Um acordo judicial encerrou o processo no qual o Corinthians era acusado de exibir a estátua de Sócrates em seu estádio sem autorização do autor da obra, o escultor Laércio Alves da Silva.

O artista cobrava a devolução da escultura, bem como uma indenização de R$ 300 mil. Segundo Laércio, a obra foi cedida para uma exposição, mas deveria ter sido restituída em 2018.

No acordo, homologado pela Justiça, a empresa Experience Agência de Promoções e Eventos Ltda comprou a escultura de Sócrates, pagando R$ 25 mil a Laércio.

A empresa, contratada pela equipe para implementar, organizar e operar um tour na Arena Corinthians, assumiu a responsabilidade pela utilização da obra no período contestado pelo autor.

No acordo, comprometeu-se a sempre indicar o nome do artista quando da exibição da estátua que homenageia o atleta, que morreu aos 57 anos em 2011.

Sócrates, que costumava comemorar seus gols com o punho cerrado, além de ser um dos maiores ídolos do Corinthians, participou das Diretas Já, e foi um dos idealizadores da Democracia Corinthiana, na década de 80, período em que atletas passaram a ter participação maior nas decisões do clube.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.