PUBLICIDADE
Topo

Rogério Gentile

Justiça penhora patrocínio de Marcelinho Carioca por dívida com hospital

Marcelinho Carioca  - Reprodução/TV
Marcelinho Carioca Imagem: Reprodução/TV
Rogério Gentile

Rogério Gentile é jornalista formado pela PUC-SP. Durante 15 anos, ocupou cargos de comando na redação da Folha de S.Paulo, liderando coberturas como a dos ataques da facção criminosa PCC, dos protestos de 2013 e das eleições presidenciais de 2010 e 2014, entre outras. Editou a coluna Painel e o caderno Cotidiano e foi secretário de Redação, função em que era responsável pelas áreas de produção e edição do jornal. Atuou como repórter especial da Folha de 2017 a 2020 e atualmente é colunista.

Colunista do UOL

05/05/2022 10h37

A Justiça paulista determinou a penhora sobre um patrocínio que o ex-jogador Marcelinho Carioca receberia da empresa Adidas.

A decisão foi tomada em um processo no qual o Hospital Sírio-Libanês cobra uma dívida de R$ 160,8 mil referente a despesas médicas, em 2007, com as internações da mãe do atleta, Sueli Pereira da Silva, que faleceu no ano seguinte.

"Infelizmente, a fama de Marcelinho Carioca não se limita ao seu período de jogador de futebol. Ele é réu em diversas ações e não paga ninguém", afirmou a defesa do hospital à Justiça, ao solicitar a penhora.

O processo transitou em julgado em 2014, ou seja, não há mais discussão em relação ao seu mérito. Está na chamada fase de cumprimento de sentença.

Ao determinar a penhora, o juiz Celso Lourenço Morgado disse que a Adidas deve depositar os valores em uma conta judicial até o limite do valor da dívida.

Ordenou também que a empresa forneça as cópias de todos os contratos de direito de uso de imagem, vigentes ou não, e vinculados a Marcelinho Carioca, incluindo aqueles que eventualmente tenham sido assinados com terceiros (representantes do ex-atleta, empresas ligadas a ele etc).

Procurado pela coluna, o advogado Anthero Mendes Pereira Júnior, que defende Marcelinho, afirmou que ele nega ter dívida com hospital, não concordando com a decisão que o condenou a fazer o pagamento.

O advogado disse que vai apresentar recursos impugnando a execução da cobrança e questionando o cálculo do valor da dívida.

Ele afirmou ainda que Marcelinho desconhece ter relação jurídica com a Adidas. A empresa de material esportivo ainda não foi intimada sobre a determinação.

Em um outro processo contra o ex-atleta, ao qual a coluna teve acesso, a Adidas enviou uma petição à Justiça declarando não possuir "nenhum contrato (ativo e/ou encerrado) com o sr. Marcelo Pereira Surcin", que é o nome completo de Marcelinho .