PUBLICIDADE
Topo

Rubens Valente

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Transmissão de formaturas militares com Bolsonaro custou R$ 850 mil

10.set.2020 - Bolsonaro participa da formatura de alunos para promoção a sargento, no Centro de Instrução Almirante Alexandrino, no Rio - Alan Santos/Presidência da República
10.set.2020 - Bolsonaro participa da formatura de alunos para promoção a sargento, no Centro de Instrução Almirante Alexandrino, no Rio Imagem: Alan Santos/Presidência da República
Rubens Valente

Rubens Valente é repórter desde 1989 e há 10 anos atua em Brasília. Nasceu no Paraná e trabalhou em órgãos da imprensa de São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, onde se formou em jornalismo na UFMS (Universidade Federal do MS). É autor de "Operação banqueiro" (Geração Editorial, 2014) e "Os fuzis e as flechas - história de sangue e resistência indígena na ditadura militar" (Companhia das Letras, 2017). Recebeu 17 prêmios nacionais e internacionais, incluindo o Prêmio Esso de Reportagem, dois Prêmios de Excelência Jornalística da SIP (Sociedade Interamericana de Jornalismo) e dois Grandes Prêmios Folha.

Colunista do UOL

17/08/2021 07h00

Resumo da notícia

  • Valor corresponde a eventos do gênero ocorridos apenas de dezembro de 2020 a junho de 2021

O governo federal gastou, apenas de dezembro de 2020 a junho de 2021, cerca de R$ 850 mil com geração de imagens via satélite e transmissão pela TV Brasil de 13 formaturas e solenidades festivas em organizações militares com a participação do presidente Jair Bolsonaro.

O evento mais caro - uma "cerimônia de declaração de guardas-marinha de 2020 e entrega de espadas da turma Capitão-mor Jerônimo de Albuquerque", no Rio de Janeiro - que foi transmitido ao vivo durante 1h53min pela TV estatal na manhã de 12 de dezembro, custou R$ 103 mil aos cofres públicos.

A pandemia do novo coronavírus não impediu que Bolsonaro continuasse frequentando eventos do gênero. De julho a novembro de 2020, conforme a coluna revelou em janeiro passado, os gastos para transmissão desses eventos haviam sido de R$ 162 mil. Naquele período de cinco meses, Bolsonaro havia comparecido a sete formaturas de militares e policiais e visitado duas escolas "cívico-militares".

Os valores referentes ao período de dezembro de 2020 a junho de 2021 constam dos controles da EBC (Empresa Brasil de Comunicação), empresa estatal responsável pela TV Brasil e contratada pela Secom (Secom Especial de Comunicação), vinculada ao Ministério das Comunicações.

Na conta não entraram outros gastos que envolvem eventos do gênero, como deslocamento, diárias e hospedagem das equipes da emissora estatal e streaming para redes sociais - só para um desses eventos, o streaming custou R$ 4 mil.

Os valores correspondem apenas aos gastos com satélite e ao espaço de divulgação dentro da grade de programação da TV Brasil. Na gestão Bolsonaro, a EBC tem coberto extensamente eventos do gênero aos quais Bolsonaro faz questão de comparecer em diversas unidades da Federação.

Em janeiro, em resposta a uma indagação da coluna sobre os gastos com transmissão de eventos dos quais Bolsonaro participa, a Secom afirmou: "São rotineiras a cobertura e a produção, pela Empresa Brasil de Comunicação, de conteúdos e agendas relacionados ao presidente da República, vice-presidente da República e demais autoridades do Governo Federal, como forma de dar publicidade às agendas e às ações do Governo, atendendo, portanto, a uma das competências fundamentais da Secretaria Especial de Comunicação Social".

No último período pesquisado pela coluna - de dezembro de 2020 a junho de 2021 -, Bolsonaro compareceu a dez eventos de formaturas ou de início de anos letivos em organizações militares, uma "cerimônia do Dia do Marinheiro", uma festividade pelo aniversário de 80 anos do Comando da Aeronáutica e outra pelo Dia do Exército.

Apenas em junho passado, Bolsonaro compareceu à "entrega de boina aos alunos do 6º ano do ensino fundamental no Colégio Militar de São Paulo" (R$ 68,9 mil), foi à "cerimônia de juramento à Bandeira e entrega de espadins da turma Almirante Bosísio Escola Naval" (R$ 84,8 mil), participou da "solenidade de promoção à graduação de Sargento da Escola de Especialistas de Aeronáutica" (R$ 78 mil) e da "formatura do curso de aperfeiçoamento de oficiais da Polícia Militar do Distrito Federal (R$ 31,2 mil).

O mês de dezembro de 2020, fim de ano escolar, foi igualmente agitado para Bolsonaro nesse quesito. Ele participou da "solenidade de declaração dos novos aspirantes da Aeronáutica" em Pirassununga (R$ 94 mil), da "solenidade de Restituição de Espadins aos novos Aspirantes a Oficial da Academia Militar das Agulhas Negras (R$ 991, mil), da "cerimônia do Dia do Marinheiro" (R$ 85,8 mil) e da "formatura de 494 novos soldados da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro" (R$ 17,3 mil), além da cerimônia de "declaração de Guardas-Marinha de 2020", já citada acima (R$ 103 mil).

Na conta de R$ 850 mil também não está incluída a participação de Bolsonaro nas posses dos três comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica ocorridas em abril passado. Com a transmissão por satélite, custaram respectivamente R$ 23,4 mil, R$ 28,9 mil e R$ 23,4 mil. Também não foi incluído o valor de R$ 67 mil com "solenidade de passagem de comando do Comando Militar do Sudeste (CMSE)".