PUBLICIDADE
Topo

Tales Faria

Bolsonaristas no governo se agarrarão aos filhos do presidente

Tales Faria

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, ?Todos os Sócios do Presidente?, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Chefe da Sucursal de Brasília do UOL

05/11/2020 16h55

A eventual derrota de Donald Trump na eleição presidencial dos Estados Unidos resultará na derrocada do governo de Jair Bolsonaro e do Bolsonarismo. Certo?

Não é assim que pensam os bolsonaristas.

A apuração dos votos, segundo eles, mostra que o conservadorismo - representado pelo trumpismo - cresceu e se consolidou. Tem metade dos votos dos norte-americanos. E isso se refletirá no mundo inteiro. Servirá, inclusive, para manter a força do bolsonarismo junto ao eleitorado do Brasil.

Os bolsonaristas de raiz se julgam o mais importante pilar de sustentação do governo Bolsonaro. Mas acham que a eventual posse de Joe Biden na Casa Branca fará seus adversários lutar por mais espaço dentro do governo.

Estão certos. Vai ser mesmo uma batalha. Independentemente de Trump, já têm perdido espaços para o centrão e os militares no governo.

Mas os bolsonaristas apostam nos filhos do presidente para manter forte o grupo no poder.

O mais ativo e beligerante dos filhos, Carlos Bolsonaro, conhecido como o "Zero Dois", já ganhou até manifestação publica do pai pedindo que o reelejam como vereador pelo Rio de Janeiro. Segundo o presidente, para que Carlos "continue ajudando" o governo federal.

O Zero Três, é o deputado Eduardo Bolsonaro. Foi o mais firme na torcida pública por Donald Trump. Aliás, ele sonhou ser embaixador brasileiro nos Estados Unidos. Os políticos não deixaram, mas Eduardo fez de Nestor Forster o titular do cargo, o que mostra sua força junto ao pai.

E o Zero Um, o senador Flávio Bolsonaro... Bem, ele foi denunciado pelo Ministério Público no Inquérito das Rachadinhas da Assembleia Legislativa do Rio. Mas não está fora do ringue.

É neles, nos filhos do presidente, que os bolsonaristas de raiz apostarão todas suas fichas daqui para a frente.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL