PUBLICIDADE
Topo

Tales Faria

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Wajngarten já consta da lista de pré-convocados para a CPI da Covid

Tales Faria

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, ?Todos os Sócios do Presidente?, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Chefe da Sucursal de Brasília do UOL

23/04/2021 11h07

O ex-chefe da Secretaria de Comunicação do governo Fábio Wajngarten já consta da lista de prováveis convocados a depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado que investiga a responsabilidade do governo federal pelo descontrole da pandemia do coronavírus no Brasil

Até a manhã desta sexta-feira, 23, já foram registradas pelo menos 381 mil mortes pela Covid-19. Wajngarten declarou à revista Veja que, em setembro, do ano passado, quando o coronavírus já tirava a vida de 750 brasileiros por dia, ele soube que a Pfizer enviara uma carta ao governo oferecendo a venda de 70 milhões de doses de vacinas, mas que o Ministério da Saúde ignorou.

Na entrevista ele diz que levou o assunto ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que o autorizou a negociar com a farmacêutica. Teria havido diminuição no preços e melhores condições de contrato, mas, mesmo assim, o negócio não prosperou.

No comando da CPI da Covid, que detém maioria entre os integrantes do Colegiado, já circula uma lista de pessoas a serem convocadas. Fábio Wajngarten está nessa lista.

Mas há o temor entre os senadores de que sua entrevista seja alguma manobra do Palácio do Planalto para tirar dos ombros do presidente a responsabilidade sobre o fato de o governo não ter comprado as vacinas em tempo.

Bolsonaro deu diversas declarações contra a compra de vacinas, criticou abertamente a proposta da Pfizer e determinou, inclusive, que o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello voltasse atrás na assinatura do contrato de compra com o Butantan de vacinas CoronaVac.

Por essa desconfiança em relação a alguma manobra governista, o comando da CPI ainda avalia quando seria o melhor momento de convocar o ex-secretário.