PUBLICIDADE
Topo

Tales Faria

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Se desistir da reeleição Bolsonaro sonha com patacoada de Jânio Quadros

Tales Faria

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, ?Todos os Sócios do Presidente?, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Chefe da Sucursal de Brasília do UOL

12/01/2022 20h37

O presidente Jair Bolsonaro tem falado menos no cercadinho. É que ele agora está se dedicando a um cercadinho virtual: procura cada vez mais dar entrevistas a rádios e programas bolsonaristas como uma forma de fazer um tour eleitoral pelo país.

Em uma dessas entrevistas nessa quarta-feira, ele voltou a atacar e ameaçar ministros do Supremo Tribunal Federal. Tinha parado de fazer isso, mas voltou. E não é um movimento gratuito. Tem tudo a ver com o seu mau desempenho nas pesquisas eleitorais.

Nesta quarta-feira, foi divulgada uma pesquisa da Genial Investimentos e Quest Consutoria mostrando Lula não só na frente como superando a soma de todos os candidatos. Mais. Bolsonaro perderia as eleições nos cenários de segundo turno colocados na pesquisa: perde de Lula, perde de Moro e perde de Ciro Gomes. Perde todas.

Aí o presidente vai na entrevista e diz que tem dois ministros do STF que votam no Lula. É bem provável!. E possivelmente tem dois que foram indicados por Bolsonaro e tendem a votar nele: o Nunes Marques e, talvez, o André Mendonça,

Bolsonaro parece estar apenas preparando uma desculpa a ser usada caso continue piorando sua taxa de aprovação nas pesquisas.

Se este quadro contra permanecer por muito tempo, ou piorar para ele, há chances de Bolsonaro desistir da disputa eleitoral. Bolsonaro é um Jânio Quadros piorado. Não afasta a hipótese de tentar virar a mesa de alguma maneira em caso de derrota fragorosa.

Mas tem tudo para não dar certo esse tipo de virada de mesa. Jânio Quadros tentou e deu com os burros n'água.

A situação do país anda tão ruim, a partir de sua gestão, que não é crível que um contingente significativo da população seguiria Bolsonaro numa aventura desse tipo. Não faz parte da cultura brasileira.

Jânio foi largado às moscas quando renunciou à espera de ser conduzido de volta ao poder nos braços do povo.