Topo

UOL Confere

Uma iniciativa do UOL para checagem e esclarecimento de fatos


Meme altera e tira frases de Ciro Gomes de contexto

Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Do UOL, em São Paulo

14/09/2018 16h52

Um meme com frases atribuídas ao candidato a presidente Ciro Gomes (PDT) e que circula nas redes sociais é enganoso. O projeto Comprova procurou as seis declarações atribuídas ao presidenciável e verificou que a maioria delas foi modificada ou está fora de contexto. Uma delas é um rumor sobre o qual não há registro em áudio ou vídeo.

O meme traz as seguintes afirmações: “Holiday, por ser negro, é um capitãozinho do mato”; “Papel da minha mulher é dormir comigo”; “Dória é um viadinho com areia no cú (sic)”; “Vou receber a turma do Sérgio Moro na bala”; “A Venezuela é um exemplo de democracia”; e “Vou acabar com a ilusão moralista católica”.

A declaração sobre Fernando Holiday, vereador de São Paulo pelo DEM e integrante do MBL (Movimento Brasil Livre), que aparece no meme foi modificada e está fora de contexto. “Imagina, esse Fernando Holiday aqui. O capitãozinho do mato, porque é a pior coisa que tem é um negro que é usado pelo preconceito para estigmatizar, que era o capitão do mato do passado”, declarou em 18 de junho deste ano em uma entrevista à rádio "Jovem Pan". Após a declaração, Holiday anunciou que processaria Ciro Gomes, e o Ministério Público pediu investigação do caso por injúria racial.

A frase sobre o papel de sua mulher é verdadeira, embora seja antiga, de 16 anos atrás, e ele tenha se desculpado por ela. Em 20 de agosto de 2002, Ciro Gomes, então candidato à Presidência pelo PPS, foi questionado sobre o papel de sua esposa na campanha -- na época, ele era casado com a atriz Patrícia Pillar. “A minha companheira tem um dos papéis mais importantes, que é dormir comigo. Dormir comigo é um papel fundamental”, afirmou. Em março de 2018, ele foi novamente questionado sobre a frase em entrevista ao “Metrópoles”. Ciro alegou que foi uma grande brincadeira e que a afirmação foi retirada de contexto, mas admitiu que foi uma bobagem pela qual se desculpou.

A frase menos documentada é a suposta declaração sobre João Doria (PSDB), ex-prefeito de São Paulo e candidato ao governo do estado. Em 27 de abril de 2017, Ciro esteve em um evento da USP (Universidade de São Paulo) e teria respondido a uma pergunta provocativa de estudantes da faculdade de Direito dizendo que o tucano seria “um viado com areia no cu”. O caso foi relatado na coluna de Mônica Bergamo, na “Folha de S.Paulo”. A coluna esteve no evento e ouviu Gomes proferir um dos palavrões, porém, mas não ouviu a frase completa atribuída a ele. Não há gravações em áudio ou vídeo da declaração, que é negada por Ciro. Em participação no programa “Pânico”, da “Jovem Pan”, em 9 de agosto de 2017, ele negou que tenha falado com os estudantes.

Ciro Gomes realmente deu a declaração sobre o juiz Sergio Moro, mas ela foi tirada de contexto. Em entrevista ao jornalista Luis Nassif, o pedetista criticava a operação Lava Jato e rememorava o caso do blogueiro Eduardo Guimarães, do “Blog da Cidadania”, que foi alvo de mandados de busca e apreensão e condução coercitiva. “Hoje esse Moro resolveu prender um blogueiro. Ele que mande me prender, eu recebo a turma dele na bala… se eu não tiver cometido nada errado”, afirmou.

A frase sobre a Venezuela também foi modificada e está fora de contexto no meme. Em entrevista à rádio "Jovem Pan", o candidato foi questionado sobre a relação do Brasil com países “bolivarianos” e se ele achava que a Venezuela é uma democracia. “A Venezuela é uma democracia tão democrática quanto a brasileira e a americana”, respondeu. Na sequência, ele ponderou que não defende o regime de Nicolás Maduro.

A última declaração atribuída a Ciro é verdadeira, mas o contexto não está relacionado à religião, e sim a uma questão de governo. Em 14 de maio de 2017, ele participou de um debate em Oxford, e, depois de falar sobre o escândalo de corrupção da Petrobras e em grandes empresas, como a Volkswagen, foi questionado se queria a estatização de empresas. “Não, eu não quero estatização nenhuma. Eu quero controle social e o fim da ilusão moralista católica, o fim da ilusão. A humanidade precisa de controle. Não adianta alguém imaginar que um anjo vingador vai descer do céu, estalar o chicote e resolver o problema nacional brasileiro".

O meme foi publicado no Facebook pela página Marx da Depressão em 4 de setembro e já teve 2,6 mil reações e 27 mil compartilhamentos. O mesmo meme está sendo replicado no Twitter.

O material foi verificado pelo jornais “Gazeta do Povo” e “O Povo”, além do UOL, do “Nexo”, do “Poder360” e da rádio “GaúchaZH”, todos integrantes do projeto Comprova.

O Comprova é um projeto integrado por 24 veículos de imprensa brasileiros que descobre, investiga e explica rumores, conteúdo forjado e táticas de manipulação associados a políticas públicas. Envie sua pergunta ou denúncia de boato pelo WhatsApp 11 97795 0022.

Mais UOL Confere