PUBLICIDADE
Topo

UOL Confere

Uma iniciativa do UOL para checagem e esclarecimento de fatos


UOL Confere

Petrobras omite aumentos em vídeo que explica preço da gasolina

11.nov.2021 - Reprodução de trecho de vídeo da Petrobras sobre o preço da gasolina - Arte/UOL sobre Reprodução/Petrobras
11.nov.2021 - Reprodução de trecho de vídeo da Petrobras sobre o preço da gasolina Imagem: Arte/UOL sobre Reprodução/Petrobras

Bernardo Barbosa

Do UOL, em São Paulo

12/11/2021 04h00

Um vídeo da Petrobras em que a companhia explica a composição do preço da gasolina omite a trajetória de recentes aumentos aplicados pela estatal ao preço do combustível. Na peça, divulgada nas redes sociais da empresa, a Petrobras contrasta o valor recebido por litro da gasolina com o volume de investimentos feito para produzir o combustível, mas não cita os reajustes, nem a política de preços que rege estas alterações.

O vídeo foi publicado no dia 2 de novembro no YouTube da Petrobras, onde até a noite de ontem (11) acumulava quase 900 mil visualizações. A gravação saiu na semana seguinte ao mais recente aumento da gasolina, e em meio a declarações do presidente Jair Bolsonaro que tentam isentar o governo federal de responsabilidade sobre as altas no preço do combustível — algumas delas foram inclusive checadas pelo UOL Confere dias após o reajuste.

No vídeo, a Petrobras diz que, levando em conta os preços de 1º de novembro, recebe R$ 2,33 por litro de gasolina. A empresa também explica que o preço do combustível inclui "a parte da Petrobras, os tributos federais, o custo da mistura obrigatória do etanol, a parte dos distribuidores e revendedores e o ICMS, o imposto estadual".

Para produzir gasolina de alta qualidade, investimos bilhões de reais na procura e produção de petróleo, a 300km da costa e mais de 7 mil metros de profundidade. E você sabe quanto a gente ganha hoje por litro vendido no posto? R$ 2,33"
Descrição do vídeo da Petrobras no YouTube

No entanto, o vídeo está sem contexto. Não há nenhum tipo de explicação sobre os aumentos de preço que ocorreram por causa da política de preços da estatal, que acompanha os mercados internacionais do petróleo — produto cujo valor disparou nos últimos meses — e, por isso, também está sujeita ao câmbio. A atual política de preços foi adotada em outubro de 2016, no governo de Michel Temer (MDB).

No começo de 2021, o litro da gasolina na refinaria saía a R$ 1,84. Após a mistura com 27% de etanol, o valor correspondente à Petrobras ficava em R$ 1,34 no combustível que chega aos postos.

Desde então, no rastro da disparada do petróleo no mundo e da desvalorização do real frente ao dólar, houve sucessivos aumentos. Após o último deles, no fim de outubro, o litro da gasolina chegou a R$ 3,19. Na bomba, a fatia da Petrobras fica em R$ 2,33 — o valor citado no vídeo da estatal.

Com isso, a gasolina que sai das refinarias da Petrobras acumula aumento de 73% em 2021.

Os impostos que incidem sobre o combustível não tiveram alterações neste ano, mas o aumento nas refinarias empurra para cima o valor absoluto do ICMS, que é cobrado como uma proporção do preço da gasolina — 28%, em média. O etanol, que é misturado à gasolina, também aumentou de preço em 2021 devido a condições climáticas que prejudicaram a produção de cana-de-açúcar.

A falta de contexto do vídeo publicado no YouTube contrasta com o que a própria Petrobras informa em seu site voltado para a imprensa, onde deixou claro que o último aumento na gasolina tem relação com o valor do petróleo nos mercados internacionais, em linha com sua política de preços.

"Os ajustes refletem também parte da elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo, impactados pela oferta limitada frente ao crescimento da demanda mundial, e da taxa de câmbio", diz nota da empresa publicada em 25 de outubro.

O UOL Confere é uma iniciativa do UOL para combater e esclarecer as notícias falsas na internet. Se você desconfia de uma notícia ou mensagem que recebeu, envie para uolconfere@uol.com.br.

UOL Confere