UOL Notícias Cotidiano
 

29/05/2008 - 18h13

Gêmeas siamesas separadas cirurgicamente recebem alta

Rayder Bragon
Especial para o UOL
Em Belo Horizonte
As ex-gêmeas siamesas Ana Flávia e Ana Clara, que nasceram unidas pelo abdome e compartilhavam o fígado, receberam alta nesta quinta (29) na Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte depois da cirurgia bem-sucedida feita para separação delas, no dia 10 deste mês. As duas meninas, com 8 meses de vida, ficaram 20 dias internadas no centro de tratamento intensivo do hospital para recuperação pós-operatória.

A expectativa da equipe médica responsável pela intervenção era que as duas reagissem bem ao pós-operatório, já que a cirurgia de separação, que durou 2h30, transcorreu de forma satisfatória, relataram os médicos, para quem o sucesso da operação se deu pelo fato de as duas, à época, não apresentarem união por nenhum órgão vital, como o coração.

  • Ana Clara e Ana Flávia são um dos seis casos de gêmeos siameses que puderam ser separados em Belo Horizonte desde década de 70

De acordo com a equipe, no caso das gêmeas xifoonfalópagas (nome que caracteriza a ligação pelo abdome e pelo fígado), o órgão se regenera em pouco tempo.

Durante os procedimentos pré-operatórios feitos para minimizar os riscos da intervenção, a equipe, composta de 10 médicos e 15 profissionais da área de saúde, havia diagnosticado um único fígado unindo Ana Flávia e Ana Clara, que fora divisado pela posição em que as duas estavam ligadas. No entanto, para surpresa dos cirurgiões, após o início da intervenção fora detectado que havia dois órgãos em lugar de um só, porém, unidos. O fato contribuiu de forma decisiva para a evolução satisfatória do quadro clínico delas.

As gêmeas, que chegaram à Santa Casa com 40 dias de vida, saíram da Santa Casa sem seqüelas e, de agora em diante, poderão ter vida normal. O próximo passo será aplicação de sessões de fisioterapia para que as duas recuperem os movimentos normais de crianças nessa faixa etária. As duas moram em Alfenas, Região Sul do estado de Minas Gerais, segundo dados da assessoria do hospital.

Histórico
A Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte é o único lugar em Minas Gerais que faz esse tipo de procedimento cirúrgico. Em 25 casos que foram avaliados desde a década de 1970 no local, apenas seis puderam ser operados. Houve uma morte em um dos casos submetidos à cirurgia de separação, conforme histórico do hospital.

Os entraves que desaconselham a operação de desmembramento de gêmeos nessas condições, de acordo com a equipe que faz a intervenção em casos semelhantes, são os que estão ligados por órgãos vitais ou ainda a má formação congênita.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host