UOL Notícias Cotidiano
 

25/11/2008 - 15h55

'Vamos levar comida e mantimentos de helicóptero', diz prefeito de Blumenau

Luiz Nunes
Especial para o UOL Notícias
de Florianópolis (SC)
O município de Blumenau é o que registra a pior situação em decorrência dos estragos provocados pelas chuvas dos últimos dias em Santa Catarina. Pelo menos 13 pessoas morreram, cerca de 20 mil estão desabrigadas e 2.800 desalojadas devido aos deslizamentos e alagamentos. Trinta mil estão isolados na zona Sul da cidade.

Na manhã desta terça-feira, o prefeito João Paulo Kleinubing (DEM) realizou uma vistoria aérea a fim de definir prioridades de ação. Segundo ele, é primordial liberar os acessos aos diversos pontos da cidade. Toda a região sul da cidade está isolada e a região norte tem também trechos comprometidos.

A cidade possui a peculiaridade de ser cortada pelo Rio Itajaí-Açu e é interligada por seis pontes principais - além de outras menores. "No sul do município, praticamente todas as pontes estão abaladas. Onde não for possível chegar por terra, vamos levar comida e mantimentos a áreas isoladas de helicóptero, em operação conjunta com Exército e Corpo de Bombeiros", planeja.

Segundo Kleinubing, o Exército deve construir pontes provisórias locais em que houve dano na estrutura.

Outra prioridade é iniciar o fornecimento de água, já que a cidade está totalmente desabastecida. O produto deve começar a chegar as casas sexta-feira, mas deve levar mais uma semana até trabalhar plenamente. Metade da cidade também está sem energia elétrica. A meta é sanar o problema até domingo. "Hoje, os técnicos da Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina) não conseguem acessar diversos pontos, o que dificulta a religação", explica.

Itajaí (SC) amanhece 90% tomada pela água; nível da maré preocupa voluntário

Pelo menos duas pessoas morreram - uma por afogamento e outra eletrocutada. Cerca de mil estão desabrigados e dois mil estão desalojados.


Pelo menos 150 residências foram danificadas, além de ruas, pontes e do sistema de esgoto. Para recuperar totalmente a estrutura, Kleinubing estima que será necessário um período de um ano e meio a dois anos.

O tempo começa a se firmar na cidade e o nível do rio Itajaí-Açu está descendo. Na região, as barragens das cidades de Taió, José Boiteux e Ituporanga - que totalizam 14 comportas - foram fechadas por medida de segurança. O município recebe ajuda de empresas e de prefeituras, como as de Chapecó, Lages e Rio do Sul, para fornecimento de equipes médicas e caminhões pipa.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h59

    0,31
    4,142
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h23

    -0,44
    110.484,32
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host