UOL Notícias Cotidiano
 

11/11/2009 - 18h44

Apagão prejudicou 50 milhões de pessoas no Sudeste, apontam empresas distribuidoras

Arthur Guimarães
Do UOL Notícias
Em São Paulo

Regiões do RJ permanecem sem luz após apagão

Algumas localidades do Estado do Rio ainda sofrem com falta de energia na noite desta quarta-feira, segundo o serviço de atendimento emergencial da Light

Um levantamento feito pela reportagem do UOL Notícias nas principais empresas de distribuição de energia dos Estados do Sudeste mostra que cerca de 50 milhões de pessoas foram afetas pelos cortes de energia que começaram às 22h13 da terça-feira (10) e atingiram, no total, 18 unidades da federação no país.

Em São Paulo, por exemplo, as três principais empresas do ramo registraram blecautes em boa parte de suas áreas de abrangência. A Eletropaulo, que concentra o atendimento na capital e em outras 23 cidades, teve a totalidade de seus 5,8 milhões de clientes prejudicados - o que soma 16,5 milhões de pessoas no escuro, levando em consideração que o setor trabalha com um índice médio de 3 indivíduos por ponto.

A Elektro, por sua vez, atente boa parte do litoral paulista e também o lado oeste do Estado. Nas contas da firma, 75% de seus consumidores tiveram a energia cortada após o problema em Itaipu. Com isso, quase 4 milhões de pessoas teriam ficado sem o serviço. Já as unidades da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), que são responsáveis pelo abastecimento na região centro-norte de São Paulo, computaram 9 milhões de paulistas afetados.

No Rio de Janeiro, os dados também são grandiosos. A Light, que atua em mais de 30 cidades, incluindo a capital, soma 10 milhões de pessoas sem luz durante o blecaute. Já a segunda maior empresa do ramo no Estado, a Ampla, leva energia para 6 milhões de fluminenses, todos também prejudicados de alguma forma pelo apagão, que atingiu 100% do Rio.

No Espírito Santo, responsável pelo abastecimento de 70 dos 78 municípios do Estado, a Escelsa também tabulou dados alarmantes. Três milhões dos cerca de 3,5 milhões capixabas ficaram no escuro. Minas Gerais foi o Estado que, em relação aos seus colegas da região Sudeste, enfrentou o problema na menor escala. As duas principais firmas de distribuição de energia do Estado, a Cemig e a Energisa, somaram apenas 1,4 milhão de pessoas afetadas, número considerado pequeno para a população de quase 20 milhões de indivíduos.

Estados atingidos pelo apagão

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h50

    -0,28
    4,036
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h58

    0,03
    93.936,65
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host