Giro UOL traz os destaques da manhã desta quarta, 17/05, para você

Do UOL, em São Paulo

Waldemir Barreto/Agência Senado
Waldemir Barreto/Agência Senado

Votação da PEC do foro privilegiado

Três semanas depois de ser aprovada em primeiro turno por 75 votos a 0, a PEC que extingue o foro privilegiado volta ao plenário do Senado nesta quarta-feira (17). Se pelo menos 49 dos 81 senadores votarem a favor da proposta no segundo turno, o texto segue para a Câmara dos Deputados, onde não há previsão de quando será votado. A PEC acaba com o foro em casos de processos por crimes comuns para aproximadamente 37 mil políticos e autoridades em todo o Brasil.
MISTER SHADOW/ASI/ESTADÃO CONTEÚDO
MISTER SHADOW/ASI/ESTADÃO CONTEÚDO

Fogo amigo no PSDB

Aliados de Geraldo Alckmin atacam a 'pressa' do prefeito de São Paulo João Doria em relação ao candidato do PSDB à presidência em 2018. O governador paulista dá a qualquer movimento de Doria pelo Planalto ares de traição explícita. De acordo com a coluna Painel, do jornal Folha de S.Paulo, auxiliares de Doria tentaram minimizar o impacto da frase em que ele admitiu que toparia ser candidato ao Planalto se fosse escolhido em prévias. Disseram que o prefeito defendeu antes o nome de Alckmin em entrevistas.
Reprodução
Reprodução

Google entra na investigação

Informações guardadas pelo Google poderão ajudar investigadores a esclarecer se a ex-presidente Dilma Rousseff utilizou de fato uma conta de e-mail para avisar o casal João Santana e Mônica Moura, marqueteiros do PT, sobre avanços da Lava Jato. Para isso, a Justiça terá de pedir a quebra do sigilo do endereço eletrônico. A empresa possui dados de IPs que acessaram as contas, incluindo dia e horário, o que poderia ajudar na identificação dos usuários.
Moreira Mariz/Agência Senado
Moreira Mariz/Agência Senado

Blindagem aos governos

As Assembleias blindaram 98% das investigações contra governadores entre 2001 e 2016, segundo dados do Superior Tribunal de Justiça, corte onde os chefes dos Executivos Estaduais são julgados. No dia 4, o STF decidiu que os governadores do país podem virar réus sem precisar do aval prévio de dois terços dos deputados estaduais. De acordo com o STJ, apenas um pedido foi autorizado por deputados estaduais de um total de 52 no período. Foi em 2005, quando a Assembleia de Rondônia permitiu que o senador Ivo Cassol (PP), então governador, fosse processado por formação de quadrilha e fraude em licitações.
Compartilhe

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos