Giro UOL traz os destaques da manhã desta terça, 18/04, para você

Thomaz Molina

Do UOL, em São Paulo

Pedro Ladeira/Folhapress
Pedro Ladeira/Folhapress

Padilha tratou de propina

Delatores da Odebrecht afirmaram nos depoimentos que o ministro da Casa Civil do governo Michel Temer, Eliseu Padilha, pediu, recebeu e gerenciou propinas e caixa dois durante os últimos três governos federais. De Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), passando por Lula (2003-2010), até Dilma Rousseff (2011-2016), o atual chefe da Casa Civil foi, de acordo com as delações, o encarregado de arrecadar ao menos R$ 11,5 milhões junto à empreiteira. Padilha é mencionado por pelo menos seis executivos, que lhe atribuem importância relevante no trato com o grupo baiano e o colocam em exposição maior em relação aos outros sete ministros de Temer, que também são alvos de investigação em razão dos depoimentos.
Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Lula vai acompanhar depoimentos

O juiz federal Sergio Moro determinou que Luiz Inácio Lula da Silva acompanhe presencialmente os depoimentos das 87 testemunhas que a defesa do ex-presidente listou em um dos três processos em que o ex-presidente é réu na operação Lava Jato. Moro justifica que a medida foi tomada para ‘prevenir a insistência na oitiva de testemunhas irrelevantes, impertinentes ou que poderiam ser substituídas, sem prejuízo, por provas emprestadas de outros processos’.
Jorge Araújo/Folhapress
Jorge Araújo/Folhapress

Serra recebeu por Rodoanel

Um dos delatores da Odebrecht, o executivo Luiz Eduardo Soares, diz em depoimento que o ex-diretor do Dersa Paulo Vieira Souza, conhecido como Paulo Preto, devolveu R$ 4 milhões para a empresa em 2010. Depois, o equivalente a esse valor em dólares, US$ 2 milhões, teria sido depositado para José Serra em conta no exterior do empresário Jonas Barcellos, dono do grupo Brasif. Os R$ 4 milhões foram pagos pela Odebrecht por causa da obra do Rodoanel Sul, segundo o delator. Em 2010, Serra foi candidato à Presidência pelo PSDB e perdeu a disputa para Dilma Rousseff (PT). Paulo Preto é acusado por delatores de intermediar repasses ilícitos no Dersa a favor de Serra e do atual ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira. Os dois políticos tucanos negam qualquer favorecimento.
Reuters / Michaela Rehle
Reuters / Michaela Rehle

Futebol

Dois jogos definem hoje os primeiros semifinalistas da Liga dos Campeões da Europa. Às 15h45, o Real Madrid recebe o Bayern de Munique e só precisa empatar para garantir a vaga nas semifinais. Na Inglaterra, o Leicester tenta reverter a vantagem mínima do Atlético de Madrid. Pela Libertadores, a Chapecoense vai enfrentar o Nacional, do Uruguai, em Chapecó, às 21h45. O jogo é válido pelo grupo 7, que tem todos os times empatados com três pontos.
Compartilhe
Andressa Anholete/AFP
Andressa Anholete/AFP

Acelerando investigações

A ministra Cármen Lúcia, presidente do STF, e o ministro Edson Fachin montaram um 'grupo de trabalho com assessoria especializada' para acelerar os processos contra políticos no tribunal. Ainda não está definido quantas pessoas vão fazer parte dessa equipe. É provável que o time conte com funcionários de outras áreas da Corte. Na semana passada, Fachin determinou a abertura de 76 inquéritos no STF a partir de delações de 77 executivos e ex-executivos da Odebrecht. No total, 98 pessoas são alvos das investigações.
Compartilhe
Reprodução/SBT
Reprodução/SBT

Temer comenta delações

O presidente Michel Temer (PMDB) disse que uma 'delação qualquer' não pode parar o país. A frase faz parte da entrevista de Temer exibida pelo telejornal SBT Brasil na noite de ontem. O presidente se refere à abertura das delações da Odebrecht que atingiram diversos políticos. O peemedebista disse ainda que o país tem instituições sólidas e que necessita de reformas. Oito ministros do governo Temer são investigados. O presidente é citado por delatores, mas não pode ser alvo de inquéritos por atos em mandatos anteriores.
Compartilhe
Getty Images/iStockphoto
Getty Images/iStockphoto

Provável mudança na Previdência

O relatório final da reforma da Previdência deve ter uma redução do tempo mínimo de contribuição para as mulheres. A proposta original do governo igualaria em 25 anos o tempo para homens e mulheres terem acesso ao benefício. No novo projeto, o prazo diminuiria para 23 anos para o sexo feminino. A mudança na proposta seria feita para atender a bancada feminina na Câmara, já que o governo não abre mão da idade mínima.
Compartilhe
Divulgação/ STF
Divulgação/ STF

Fim do foro em maio?

O STF deve começar a discutir a restrição ao foro privilegiado para deputados federais e senadores no mês que vem. A decisão foi tomada pela ministra da Corte Cármen Lúcia. Ontem foi o primeiro dia útil de trabalho no Supremo depois da divulgação das delações pelo ministro Edson Fachin, que determinou a abertura de inquéritos contra parlamentares citados. O caso concreto que pode ser julgado em maio envolve a restrição de foro do atual prefeito de Cabo Frio (RJ), Marcos da Rocha Mendes. Ele responde a uma ação penal no STF por suposta compra de votos. Mendes chegou a ser empossado como suplente do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), mas renunciou ao mandato, o que fez com que o processo fosse remetido à Justiça do Rio de Janeiro.
Reprodução/SAPO Tek
Reprodução/SAPO Tek

Abaixo do esperado

A Netflix fechou o 1º trimestre de 2017 com 99 milhões de assinantes. Parece muito, mas o serviço de streaming queria mais e esperava passar a marca dos 100 milhões. De acordo com a companhia, a falta de estreias no período foi responsável pelo resultado, principalmente o adiamento da série House Of Cards, que só estreará em 30 de maio. A empresa ganhou 5 milhões de novos usuários entre janeiro e abril, sendo 1,4 milhão dos EUA e 3,6 milhões de outros países. Por conta do resultado abaixo do esperado, as ações da Netflix caíram 1% no período.
Compartilhe

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos