Índices de criminalidade em Salvador param de crescer em agosto

Gabriel Carvalho
Especial para o UOL
Em Salvador

Pela primeira vez neste ano, a polícia baiana registrou queda mensal nos principais índices de criminalidade em Salvador. De acordo com dados da Secretaria da Segurança Pública (SSP) do Estado, ocorreram 117 homicídios em agosto no Estado, 50 a menos que em julho -uma queda de 29,94%. Na região metropolitana de Salvador, a queda foi de 13,89% no mês.

Outras modalidades de crime como tentativa de assassinato e roubo de veículos também apresentaram redução de aproximadamente 11% na capital baiana, no último mês, em relação a julho. O número de assaltos a ônibus, por sua vez, apresentou uma pequena oscilação negativa de 1,3%, com 230 ocorrências, contra 233 registradas em julho.

A cúpula da segurança da Bahia credita a interrupção do crescimento das ocorrências ao aumento do policiamento nas principais ruas da cidade. Em agosto, segundo informações do órgão, as polícias Civil e Militar atuaram com um efetivo de 300 policiais em mais de 20 localidades consideradas estratégicas em Salvador.

No mês anterior, entretanto, mais de 15 pessoas morreram em chacinas em pontos de atuação de quadrilhas de traficantes de drogas como as localidades do Engenho Velho da Federação, Bairro da Paz e Mussurunga.

Os índices de homicídios, considerados altos nos últimos meses, também coincidiram com os afastamentos do ex-secretário de Segurança Pública, Paulo Bezerra e do ex-comandante da PM, coronel Jorge Santana, que foram substituídos por César Nunes e Nilton Mascarenhas, respectivamente.

Tráfico de drogas
O alto escalão da polícia baiana aposta no combate ao tráfico para a redução da violência.

Segundo números do Departamento de Tóxicos e Entorpecentes (DTE), até o mês de julho deste ano, já foi apreendida pela Polícia Civil 71,1% a mais quantidade de maconha, 132,8% de crack e 416,6% a mais de cocaína, do que todo o ano de 2007. Isso representa 200,3 kg de maconha, contra 117 kg em 2007, 15,5 kg de cocaína contra 3 kg e 14,9 kg de crack contra 6,4 kg do ano passado.

A própria polícia admite que os números atestam o crescimento do consumo de drogas na capital baiana. Segundo o delegado-chefe da Polícia Civil, Joselito Bispo, a maioria das mortes ocorridas este ano está relacionada ao conflito de traficantes.

Apesar disso, Bispo se mostra animado com os números recentes. "Algumas quadrilhas foram desarticuladas nos últimos meses, a partir das prisões dos seus principais líderes."

Na lista de Bispo figuram os nomes de Genílson Lino da Silva, conhecido como "Perna", Renildo dos Santos Nascimento, 26 anos, chamado de "Aladim" e apontado como responsável por mais de dez homicídios em Salvador, inclusive pela chacina ocorrida no bairro de Mussurunga, Jerry Adriani Correia de Souza, o "Binho", e o seu rival Carlos Alberto dos Santos, conhecido como "Carlinhos".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos