Polícia do Rio prende dois suspeitos de torturar jornalistas, diz jornal

Do UOL Notícias

A polícia do Rio de Janeiro prendeu dois suspeitos de participação no episódio de tortura de jornalistas do jornal "O Dia" e de um morador, na Favela do Batan, em Realengo. As informações são do portal O Dia.

Segundo a polícia, Gladson da Silva Leite, conhecido como "03" ou "Paulinho Dedo", e Lincon Barros Rodrigues são milicianos e participaram dos crimes. Eles foram presos na sexta-feira, por volta das 22h30, na Avenida Brasil, em Bangu. Com eles, foram apreendidas duas pistolas.

Segundo "O Dia", os dois supostos chefes da milícia, inspetor da Polícia Civil Odnei Fernando da Silva, o "01" ou "Águia", e Davi Liberato de Araújo, o "02", estão presos desde os dias 4 e 17 de junho, respectivamente. Eles respondem na Justiça pelos crimes de tortura, formação de quadrilha e duas vezes por roubo. Davi já cumpria pena de sete anos em regime semi-aberto.

A equipe do jornal "O Dia" foi seqüestrada e torturada pelos milicianos durante sete horas e meia, quando foi morar na comunidade do Batan para fazer uma reportagem sobre a atuação de paramilitares no local. Segundo "O Dia", a milícia atuava para beneficiar um candidato da região.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos