Sem infra-estrutura, Brasília quer implantar sistema francês de uso de bicicletas

Cláudia Andrade
Do UOL Notícias
Em Brasília

O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, destacou o incentivo ao uso de bicicletas em discurso na abertura da "Jornada Na Cidade Sem Meu Carro", promovida pelo Ministério das Cidades, nesta segunda-feira, Dia Mundial Sem Carro. O problema é que a capital federal não possui infra-estrutura para o ciclista.

Segundo Arruda, "é possível fazer em Brasília o que existe em Paris", ou seja, criar uma rede de aluguel de bicicletas, que podem ser retiradas em devolvidas em vários pontos distribuídos pela cidade. A capital federal espera ter os primeiros postos em funcionamento no período de 30 dias. O que falta são ciclovias.

"Nós tínhamos uma meta de implantar 600 km de ciclovias em quatro anos, mas sabemos que será difícil alcançá-la", disse o governador. "No entanto, em um ano e meio, implantamos 42 km de ciclovias e mais 90 km devem ser implantados até o fim deste ano", completou.

As vias, exclusivas ou compartilhadas com os veículos (como no caso das ciclo-faixas pintadas em acostamentos) estão localizadas em cidades do entorno do plano piloto. Há um projeto para construção de uma ciclovia na principal via da cidade, conhecida como Eixão.

A ciclovia permitiria que a via ficasse aberta aos veículos todos os dias da semana, ao contrário do que ocorre hoje, quando é fechada aos domingos, para o lazer. A medida, já anunciada algumas vezes pelo governo do Distrito Federal, gera polêmica e vem sendo adiada. Mas permanece nos planos da administração.

Antes de se resolver o problema, contudo, o governo vai disponibilizar espaços na cidade para que empresas privadas instalem postos de aluguel de bicicletas. Inicialmente, os postos devem estar localizados no plano piloto, para depois serem abertos também nas cidades do entorno.

O secretário de transportes, Alberto Fraga, diz que a idéia é disponibilizar mais um meio de transporte para a população. "Haverá estações na Asa Sul, Asa Norte, Parque da Cidade, Setor Comercial", diz, citando alguns dos trechos de maior movimento da capital. "Aí vocês perguntam: 'vai andar onde?' Não sei, a empresa vai sentir a necessidade de colocar estações em cada lugar".

Cada estação deverá ter, no mínimo, dez bicicletas disponíveis para o público. Existe a possibilidade de a primeira meia hora de aluguel ser gratuita. Contudo, isso ainda deverá ser discutido com a empresa vencedora do edital, previsto para ser lançado dentro de 15 dias. O governo também quer que o cartão usado para pagar a tarifa de ônibus também possa ser um meio de pagamento do aluguel de bicicletas.

"Sabemos que é mais difícil um executivo usar a bicicleta para ir trabalhar, mas, por exemplo, quem tem uma conta para pagar, vai fazer um pequeno deslocamento, pode substituir o ônibus pela bicicleta", prevê o secretário de transportes.

Ato simbólico
Nesta segunda-feira, o secretário Fraga e o ministro das Cidades, Márcio Fortes, percorreram um pequeno trecho na Esplanada dos Ministérios de bicicleta, na programação do Dia Mundial Sem Carro. Alguns poucos integrantes de grupos de ciclistas acompanharam os políticos na pedalada para incentivar o uso de meios de transporte alternativos aos veículos. O reflexo no trânsito de Brasília foi nulo.

"A data de hoje é mais simbólica. É um dia de trabalho e fica difícil ter uma mobilização de pessoas usando bicicleta, para ter um efeito mais visual. Mas o mais importante é a conscientização", disse o ministro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos