Deputados da CPI dos grampos estão sendo ameaçados por agentes da PF, diz deputada

Juliana Castro
no Rio de Janeiro
para o UOL Notícias

A deputada federal Marina Maggesse (PPS-RJ) que faz parte da CPI dos grampos, disse que deputados da comissão estão sendo ameaçados por alguns agentes da polícia federal.

Ela reforçou que não se trata de uma ameaça da PF como instituição."Vocês mesmos veêm o grande racha que acontece na polícia federal. Existem grupos que brigam entre si".

"A CPI das Escutas Clandestinas é muito atacada por vários integrantes da PF por tentar regulamentar as escutas telefônicas que estavam sendo feitas de qualquer jeito. As ameaças vem sempre naquele recadinho: você está sendo investigado, tem um inquérito aberto contra você", declarou a ex-inspetora de polícia civil do Rio, dizendo que já teve acesso ao inquérito. "São inquéritos plantados para vazar para a imprensa".

A deputada disse também que alguns grupos da PF estão pressionando os deputados. "O objetivo é desqualificar a CPI. Existem um movimento claro, você vê todos os dias nos jornais que eles não querem ser regulamentados. Eles não querem que a Comissão Nacional de Justiça tome conta dos grampos", encerrou a deputada.

As declarações foram dadas após o depoimento da deputada à CPI das Milícias. O nome dela foi citado espontaneamente pelo vereador Josinaldo Francisco da Cruz, o Nadinho (DEM), acusado de chefiar a milícia em Rio das Pedras, Zona Oeste do Rio. Ela foi citada por fazer campanha em Rio das Pedras quando candidata a deputada federal.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos