Nova regra aumenta assalto a taxistas no aeroporto do Galeão, reclama sindicato

Agência JB
No Rio de Janeiro

Enquanto a rotina de bandalhas do Aeroporto Internacional Tom Jobim torna-se - mais uma vez - alvo de promessas em época de eleição, taxistas reclamam do aumento na incidência de assaltos depois que saem do terminal e seguem em direção à Linha Vermelha e à Estrada do Galeão.

Segundo o Sindicato das Cooperativas de Táxis do Município, o número de crimes aumentou há cerca de dois meses, desde que a administração do aeroporto - atendendo a uma orientação do Ministério Público estadual - retirou as cancelas que restringiam o acesso de veículos à área de desembarque. Em uma semana, chegou a haver três assaltos consecutivos, segundo os taxistas.

"O MP não determinou, mas apenas orientou que o aeroporto retirasse as cancelas", contou o presidente do sindicato, Nilton Cruz. "A decisão foi iniciada por reclamações de pessoas que usam constantemente o aeroporto, mas acabou prejudicando a todos, tendo em vista o aumento de assaltos".

Segundo os relatos, os criminosos vêm agindo de duas formas: um deles se faz passar por passageiro e depois anuncia o assalto, ou o táxi é interceptado pouco antes de chegar à Linha Vermelha por outro veículo ocupado pelos bandidos.

A hipótese dos taxistas é de que, com o fim das cancelas, o fluxo de pessoas não-autorizadas aumentou. A própria Infraero já admitiu que pessoas não-autorizadas que circulam pelo aeroporto podem atuar passando informações aos criminosos.

"Trabalho aqui há seis anos e até então nunca tive colegas assaltados", contou o taxista Pedro Areia, 57 anos. "Agora já não vou a comunidades e avalio o perfil dos passageiros. Não sou obrigado a levar ninguém".

Assalto a ônibus cresceu
Embora não haja estatísticas específicas de roubo a taxistas, as incidências começam a causar preocupação. Roubo em coletivo, por exemplo, aumentou 8,9% neste semestre na região - passando da metade do total registrado em todo o ano passado - de acordo com o Instituto de Segurança Pública (ISP).

Dois assaltos a taxistas aconteceram da mesma forma: um homem se fez passar por passageiro, foi até Niterói e anunciou o assalto. Em outro relato, de um taxista que pediu para não se identificar, um passageiro pegou táxi não cadastrado e, na Estrada do Galeão, em frente à base aérea da Aeronáutica, o carro foi cercado e motorista e passageiros tiveram os pertences roubados. Até o táxi foi levado.

Responsável pelo policiamento ostensivo da Linha Vermelha, o comandante do Módulo Operacional das Vias Expressas (Move), major Heitor Pereira, garante não houve assalto a taxistas na saíde do Galeão nos últimos dois meses.

"Na avenida Brasil até acontece, mas na Linha Vermelha eu garanto que não houve", disse o major.

O comandante do 17º BPM (Ilha do Governador), coronel Célio Pedrosa, também afirmou desconhecer assaltos porque "há cabines da PM na Avenida 20 de Janeiro, Estrada do Galeão e Ponte da Ilha".

"Isso parece briga de taxista querendo a volta das cancelas", acusou. "Desconheço registro de taxistas roubados".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos