Ministério Público aciona Prefeitura de Magé por insalubridade em escolas

Da Agência JB
No Rio de Janeiro

A 3ª Promotoria de Justiça e Tutela Coletiva de Caxias ajuizou nesta quinta-feira (2), uma ação civil pública contra o município de Magé, na Baixada Fluminense, por manter em funcionamento dois postos de saúde em escolas públicas, obrigando alunos e professores a transitarem entre doentes e lixo hospitalar.

De acordo com inquérito instaurado pelo Ministério Público (MP) e investigações do Grupo de Apoio às Promotorias (GAP), no bairro de parque Boneville não há separação entre a escola e o posto de saúde.

Sem tratamento adequado, os resíduos hospitalares ficam expostos. No bairro de Barão de Iriri, a escola municipal e o posto de saúde têm a mesma entrada.

Ao tomar conhecimento dos dois casos, por uma denúncia anônima, o MP solicitou esclarecimentos da prefeitura, que não respondeu, segundo o órgão.

O objetivo da Ação Civil Pública é que, em Barão de Iriri, haja uma separação entre o posto e a escola e, em Parque Boneville, o lixo hospitalar tenha tratamento e destinação adequados e seja construído um muro para que escola e posto ganhem entradas independentes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos