Greve mobiliza 70% dos bancários de Manaus

Amanda Mota
Da Agência Brasil

A greve dos bancários em Manaus completa uma semana hoje (14) e, de acordo com o Sindicato dos Bancários do Amazonas, vai continuar por tempo indeterminado. Bancários de 40, das 86 agências da cidade estão de braços cruzados: 100% das agências da Caixa Econômica Federal e do Banco da Amazônia (Basa), 80% das unidades do Banco do Brasil e de nove agências de bancos privados.

O diretor social do sindicato, Joaquim Costa Neto, informou que no interior do estado apenas os bancários do município de Itacoatiara aderiram ao movimento. A expectativa é de que a partir de hoje a paralisação ganhe mais força.

"Esperamos que a partir desta terça outros bancos possam se juntar ao nosso movimento, apesar da instabilidade que têm os servidores de bancos privados", disse Costa Neto, após participar de assembléia-geral com a categoria nessa segunda-feira (13).

Em entrevista à Agência Brasil, o representante sindical disse que a categoria entende os prejuízos da greve para a sociedade, mas destacou que o movimento é necessário para defender as melhorias pretendidas pelos bancários nesta ocasião. Apenas serviços como compensação bancária e auto-atendimento continuam funcionando.

"A gente não quer a greve. Sabemos que é ruim para todos, inclusive para nós. Apesar disso, não podemos deixar de lado a necessidade de discutir essa situação e tentar negociar para chegar a um acordo o mais rápido possível", acrescentou.

De acordo com o Sindicato dos Bancários do Amazonas, os bancos permanecerão fechados até que haja alguma contra-proposta dos banqueiros, que até agora só acenaram com reajuste de 7,5%. A principal reivindicação dos bancários é o reajuste de 16% que, segundo eles, representaria a reposição das perdas salariais entre 2005 e 2008.

No Amazonas, a greve dos bancários também tem como bandeira de luta a ampliação da Bolsa Alimentação e do Vale Transporte; maior Participação nos Lucros e Resultados (PLR); a manutenção da faixa etária dos beneficiados do auxílio-creche e a liberação de bolsas de estudo parciais para os trabalhadores.

Existem no Amazonas cerca de 3,1 mil bancários, dos quais aproximadamente 2,4 mil na capital, onde o salário inicial pode variar entre R$ 921,40 e R$ 1,3 mil, de acordo com o sindicato da categoria.

Os bancários do Pará e do Amapá também paralisaram as atividades. Segundo estimativa do sindicato da categoria nos dois estados, a paralisação atinge bancos públicos e privados, e conta com adesão de 70% da categoria, no total de 7,5 mil trabalhadores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos