"Erros em situações de alto risco podem levar a uma situação trágica", diz especialista

Do UOL Notícias
Em São Paulo

Os policiais que conduziram as negociações durante o seqüestro de duas adolescentes de 15 anos em Santo André, na Grande São Paulo, poderiam ter evitado, pelo menos, que uma das vítimas fosse baleada durante o desfecho do crime. Esta é a opinião do consultor em segurança e ex-secretário Nacional de Segurança Pública José Vicente da Silva.

"Toda tragédia há de se lamentar. É difícil apontar erros. Só quem está no local pode avaliar a informação correta. O único fato que considero um erro [da polícia] foi o retorno da moça ao apartamento, mesmo que ela tenha entrado espontaneamente. A culpa é da polícia pelo tiro que ela recebeu", disse José Vicente.

Lindemberg Fernandes Alves, 22, seqüestrou e manteve como refém sua ex-namorada, de 15 anos, em um apartamento de um conjunto residencial de Santo André. Uma outra adolescente, amiga da garota, também foi mantida refém, chegou a ser libertada pelo seqüestrador, mas decidiu retornar ao apartamento. Ela sofreu um tiro na face, na região da boca.

"Erros em situações de alto risco podem levar a uma situação trágica", afirma o ex-secretário Nacional de Segurança Pública. "A polícia deve fazer uma auto-avaliação. Vamos ver o que aparecerá na investigação", disse.

Segundo o consultor em segurança, que é coronel aposentado da Polícia Militar, os responsáveis pela operação podem ser punidos pelo de terem permitido o retorno da adolescente ao apartamento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos