Julgamento sobre Raposa Serra do Sol deve ser retomado em dezembro

Marco Antônio Soalheiro
Da Agência Brasil
Em Brasília

O julgamento no STF (Supremo Tribunal Federal) sobre a legalidade da demarcação da terra indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, deverá ser retomado em dezembro.

A informação foi dada nesta quarta-feira (5) pelo governador do Estado, José de Anchieta Júnior, após reunião em Brasília com o presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, e confirmada pela assessoria de imprensa do órgão.

O governador ressaltou que um eventual adiamento da decisão para o próximo ano poderia fazer ressurgir um clima de confronto entre índios, arrozeiros e pequenos agricultores que permanecem na área, de 1,7 milhão de hectares, homologada pelo governo em abril de 2005.

"Caso o julgamento não se concluísse e fosse postergado poderia causar uma animosidade entre as partes. Mas, graças a Deus, o ministro sinalizou que levará ao plenário [o processo] em dezembro", afirmou Júnior.

O julgamento foi iniciado em 27 de agosto deste ano, quando o relator da ação em que o senador Augusto Botelho (PT-RR) questiona a demarcação das terras, ministro Carlos Ayres Britto, votou pela improcedência das alegações e pela manutenção da área como de uso exclusivo dos indígenas.

Se a tese prevalecer, os produtores que lá permanecem teriam de deixar suas posses mediante indenizações pagas pela Funai (Fundação Nacional do Índio).

O julgamento foi suspenso por um pedido de vista do ministro Menezes Direito, que se recusa a conceder entrevistas sobre o assunto.

O governador de Roraima disse estar "otimista" e acreditar em uma decisão pela demarcação em ilhas, o que permitiria a permanência dos produtores em suas fazendas. Entretanto, ele garantiu haver disposição para cumprir qualquer determinação do STF. "Respeitaremos seja qual for a decisão do Supremo. As instituições, as autoridades e a população trabalham nesse sentido. A parte antagônica que se sentir prejudicada terá que aceitar", afirmou.

Em abril desse ano, uma operação da Polícia Federal esteve prestes a ser desencadeada para retirar à força os não-índios que ocupavam a reserva, mas o STF determinou a suspensão da ação até o julgamento de mérito da questão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos