Acusada de mandar matar os pais é condenada a 50 anos no Pará

Do UOL Notícias
Em São Paulo

A 6ª Vara Penal de Ananindeua, município da Região Metropolitana de Belém (PA), confirmou a condenação de Iraceli Barbosa Angelim a 50 anos de prisão em regime inicialmente fechado pela morte dos pais, ocorrida em 18 de agosto de 2004, quando ela tinha 20 anos. A sentença foi proferida pela juíza Guísela Haase de Miranda Moreira.

É o segundo júri popular da acusada de ser mandante do crime. Em maio, Iraceli foi condenada à mesma pena, pelo duplo homicídio qualificado (por motivo torpe e com uso de recurso que impossibilitou a defesa das vítimas) da professora Ana Antônia Barbosa e do investigador de polícia Leonardo Agelim da Cunha.

No julgamento, ela negou ter assassinado os pais. Segundo a promotoria, a ré pagou ao executor do crime, Cosme Martins da Silva, a quantia de R$ 600, e pagaria mais um aparelho de DVD após o cumprimento do acordo. Cosme foi condenado a 32 anos de prisão.

Conforme o inquérito da Polícia Civil, que subsidiou a denúncia oferecida pelo Ministério Público, Iraceli planejou e ajudou o assassino a ter acesso à residência. Segundo o MP, ela cometeu o crime porque engravidou de um amigo da família, casado e com 45 anos à época, e não queria revelar o fato à família.

Ainda segundo a acusação, a jovem despertou a mãe para afastá-la do quarto onde também estava dormindo o pai, atraindo-a até a cozinha, onde foi atacada por Cosme com 18 facadas. O pai, dormindo no aposento superior da casa, foi morto a tiros em seguida. À polícia, Iraceli afirmou que o pai matou e mãe e, depois, suicidou-se.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos