Exército admite uso de cassetete elétrico e gás de pimenta contra adolescente

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

Depois de negar que soldados tivessem torturado um adolescente de 16 anos na última quarta-feira, o Exército admitiu parte da versão do menor. Foram usados um cassetete elétrico e gás de pimenta contra a vítima que invadiu uma área militar para fumar maconha com um amigo. O menor está com 70% do corpo com queimaduras de primeiro e segundo graus.

No entanto, em nota, o Comando Militar do Leste (CML) informou que as armas são consideradas não-letais e disse ter aberto inquérito para apurar as acusações contra os soldados. O caso foi transferido para a Polícia Federal.

O adolescente afirmou ter sido torturado e queimado com ácido por militares no Rio. Apesar de negar as agressões, o Exército informou que vai custear todo o tratamento do menino, que além das queimaduras, corre o risco de ficar cego. A transferência foi negociada entre a família do jovem e uma equipe de militares da 9ª Brigada de Infantaria Motorizada do Exército. O advogado da família do adolescente, o presidente do Instituto de Defensores dos Direitos Humanos, João Tancredo, afirmou que a medida é uma espécie de "reparação louvável" do Exército.

Nesta sexta-feira, o Ministério Público Militar também entrou nas investigações e afirmou que vai colher depoimento do jovem.

*Com informações das agências JB e Estado

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos