Polícia prende suspeitos de tentar comprar bebê por R$ 30 mil em Goiás

Sebastião Montalvão
Especial para o UOL Notícias
Em Goiânia (GO)

Na tarde de segunda-feira (24), a polícia de Goiás prendeu um casal de irmãos em Senador Canedo (região metropolitana de Goiânia) suspeito de tentar comprar um bebê de apenas cinco dias de vida. Anderson Abrantes Dias, 23, e Nádia Abrantes Dias, 26, foram flagrados enquanto supostamente fariam o pagamento de parte dos R$ 30 mil combinados e buscariam a criança. O casal teria se deslocado de Anápolis (54 km da capital) para pegar o bebê.

A mãe da criança, identificada apenas como Sineuza, fez a denúncia, que culminou no flagrante armado pela polícia. Ela e o bebê tiveram que deixar a casa simples em que moravam com medo de represálias. "Acreditamos que seja uma quadrilha e tememos pela segurança dela, do bebê e de toda a família", disse Raquel Martins Alves, tia da criança e cunhada de Sineuza.

De acordo com informações da polícia, a mãe do bebê começou a ser assediada no início do mês, quando já estava grávida. "A mãe foi procurada por uma pessoa conhecida, que levou uma moça [Nádia] até ela para fazer a proposta. Foi então que a mãe denunciou o caso ao Conselho Tutelar, que nos procurou", disse o delegado do caso, Giuliano Lima.

De acordo com o delegado, a partir das informações e com a ajuda da Polícia Militar, foi armado o flagrante e o casal foi detido. Também foram apreendidos com o casal dois cheques, que, somados, chegavam próximos a R$ 20 mil. Eles seriam utilizados como parte do pagamento pelo bebê. Nenhum dos suspeitos quis falar com a imprensa. Ao delegado, eles negaram o crime.

Além dos cheques, a polícia apreendeu ainda um celular com dezenas de mensagens, várias delas remetidas de outros Estados do país e de países da Europa, o que aumenta a suspeita de tráfico internacional de crianças. Em uma das mensagens, vindas da Suíça, o autor questionava: "Vai vir com o bebê?". Nádia é casada com um suíço e tem cidadania européia.

O casal vinha sendo monitorado há duas semanas. As negociações para a compra do recém-nascido tiveram início poucos dias antes. "Uma mulher, chamada Andréia, foi visitar meu sobrinho e fez essa proposta. Foi ela que levou o casal até lá. Desde o início, minha cunhada nunca cogitou essa proposta", ressalta Raquel Dias, tia do bebê.

De acordo com a polícia, inicialmente, a proposta teria sido de R$ 8 mil. Com a recusa da mãe da criança, o valor teria saltado para R$ 30 mil. O casal também teria oferecido à mãe da criança a oportunidade de ir para o exterior, acompanhar o crescimento do filho. "Eles disseram que ele (a criança) levaria uma vida de riqueza, conforto. E que ela poderia ir depois", conta Raquel, que esta tarde prestaria depoimento à polícia.

Quando a reportagem do UOL falou com Raquel, por telefone, ela disse que estava ao lado de Sineuza, que amamentava o bebê. "Temos medo e escondemos ela (Sineuza) e o bebê. Por isso ela não quer falar com você", disse.

O pai do recém-nascido e irmão de Raquel, Sílvio Martins Alves, está preso no Complexo prisional de Aparecida de Goiânia. Também por telefone, ele falou com a reportagem do UOL. "Estamos passando por dificuldades. Não temos dinheiro, eu estou aqui, preso, mas nunca cogitamos essa possibilidade. A minha esposa me ligou dizendo que tinha um casal ligando todo dia para ela, pressionando", disse Sílvio, que revelou que ainda não conhece o filho.

Os dois suspeitos responderão pelo crime de oferecer recompensa para ter filho de terceiro, mas também poderão ser acusados por tráfico internacional de crianças, caso fique comprovado o delito. O caso deve ser encaminhado à Polícia Federal, que investigará essa possibilidade.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos