Ministério da Saúde anuncia R$ 100 milhões para SC

Luiz Nunes
Especial para o UOL Notícias
Em Florianópolis (SC)

Um hospital de campanha deve ser instalado em Santa Catarina para atender às vítimas das fortes chuvas dos últimos dias. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (26) pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão, que, no Estado, garantiu o envio de 17 toneladas de medicamentos e a provisão de recursos da ordem de R$ 100 milhões para a recuperação de hospitais, postos e policlínicas.

No total, o governo federal deve enviar R$ 340 milhões para reformas estruturais. Parte da verba será incluída em Medida Provisória, a ser assinada pelo presidente Lula, em visita às áreas atingidas, ainda nesta quarta-feira. Segundo o governo do Estado, somente a recuperação da malha viária deve custar R$ 250 milhões.

Dez toneladas de medicamentos - entre antibióticos, soro, remédios de uso contínuo, antiinflamatórios e materiais para curativo - devem chegar ao Estado ainda nesta quarta-feira. Os kits são suficientes para atender a 50 mil pessoas por três meses. Outras sete toneladas estão previstas para ser enviadas na quinta-feira. A remessa virá via aérea, pelo aeroporto de Navegantes, que é mais próximo das zonas afetadas no Vale do Itajaí e no Litoral.

O ministro frisou que representantes do governo federal atuam desde segunda-feira em Santa Catarina em articulação com as secretarias municipais e estaduais de saúde e que ele e o presidente Lula não vieram antes conferir os estragos por falta de agenda. Segundo Temporão, o hospital de campanha deve ser instalado em local a ser definido pelo governo estadual.

A estrutura provisória deve ficar disponível até que a situação seja contornada. Socorristas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) de outros Estados também devem atender às vítimas. "Em vários municípios tivemos destruição parcial ou total em unidades de saúde", disse, na coletiva.

Uma das preocupações do Ministério da Saúde, depois de passada a enchente, é em relação aos riscos de contaminação. "A imprensa é fundamental na divulgação de medidas de prevenção em uma situação como essa", alertou.

Entre as provisões, a pasta da saúde vai enviar ao Estado soro antitetânico, antiescorpiônico e antiofídico. "Algumas vacinas refrigeradas se perderam em locais onde houve falta de energia elétrica e é necessário repor o estoque", finalizou.

Em Brasília, o presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde, Osmar Terra, garantiu a provisão de medicamentos por meio de um mutirão de todos os Estados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos