Moradores de áreas afetadas pela chuva relatam ao UOL o drama de SC

Bárbara Paludeti
Do UOL Notícias
Em São Paulo

Em decorrência das fortes chuvas no Estado de Santa Catarina, pode passar de cem os mortos por conta dos estragos, estima a Defesa Civil.

Várias cidades sofreram estragos e foram alagadas por rios que transbordaram por conta da incessante chuva e deixaram milhares de desabrigados.

Nos oito municípios isolados, seis decretaram estado de calamidade pública e sete estão em estado de emergência. Embora não conste da lista da Defesa Civil, o prefeito de Blumenau, João Paulo Kleinübing (DEM), afirmou que decretou estado de calamidade pública no município. O mesmo ocorreu em Itajaí, onde o número de desabrigados e desalojados é de cerca de 15 mil. Jaraguá do Sul também decretou estado de emergência.

O UOL abriu um grupo de discussão para que as pessoas atingidas pelas chuvas dêem seus relatos sobre como está a situação em suas cidades. Problemas em estradas, desmoronamentos, saques e falta de acesso a vários lugares são freqüentes entre as informações que o público destaca. Selecionamos neste texto alguns dos relatos dos internautas sobre o caos no Estado.

Estradas interditadas

VOCÊ MANDA

  • Bernardo Xerez/UOL

    Foto enviada pelo internauta Bernardo Xerez e tiradas na tarde do dia 24 de novembro na rodovia federal BR-101 na altura do rio Itajaí-Açu, entre as cidades de Itajaí e Navegantes

Muitos internautas dão depoimentos sobre as estradas que estão interditadas e impossibilitam o acesso a várias cidades. Gisele Brugger, de Contagem (MG), conta que estava saindo de Curitiba, descendo de carro pela BR-101 neste domingo (23), quando ficou sabendo do deslizamento de terra em Garuva. "Voltamos e pegamos a BR-116, cortamos caminho por São Bento do Sul para sairmos novamente na BR-101. Por volta da 16h de domingo, fomos surpreendidos, perto de Piçarras com o rio passando por cima da ponte. Foram milhares de pessoas que ficaram paradas no posto de gasolina, onde passamos a noite aguardando a água baixar. Tivemos que voltar e estamos em Joinville, pois as noticias que temos é que a BR-101 ainda continua interditada no trecho de Itajaí/Navegantes", relata.

"Aqui em Brusque houve muitos deslizamentos de terra e dezenas de casas foram parcial ou totalmente destruídas. As estradas estão em grande parte com tráfego prejudicado pela queda de barreiras, lama e buracos", afirma o internauta Vilmar, de Brusque (SC).

Em Florianópolis, capital catarinense, a situação das estradas também está complicada. "A principal rodovia que liga o norte da ilha, SC-401, está interditada, uma grande barreira caiu sobre a estrada que liga as praias do norte da ilha. Além da barreira, a estrada está esburacada, além da avenida beira mar, muitos carros já sofreram com cortes nos pneus, muitos bairros estão alagados, como Campeche, Rio Vermelho, Armação e Pântano do Sul", comentou Fernando, morador da capital.

Deslizamentos de terra

VOCÊ MANDA

  • Araceli/UOL

    Foto enviada pela internauta Araceli de desmoronamento na cidade de Jaraguá do Sul

Os comentários dando conta dos desmoronamentos de terra também são freqüentes. Como relata a leitora Mariana Quintino, de Blumenau (SC). "Vocês nem podem imaginar o que aconteceu em nossa cidade. O número de desmoronamentos é assustador. Em alguns bairros é impossível passar de um lado para o outro por causa dos morros que deslizaram completamente sobre a via até o rio. O que ocorreu aqui foi enxurrada, seguida por um nível alarmante do rio em poucas horas chegando a 11m52cm. A queda dos morros se deu pois estávamos com chuva há um período de mais ou menos 62 dias, encharcando totalmente o solo. Acabei de chegar do bairro da Velha, onde 15 casas ficaram soterradas pelo deslizamento de um morro que não era considerado área de risco", relata.

O internauta Eloi Dallabrida, morador do município de Benedito Novo (SC), conta que na cidade, situada em região montanhosa e cheia de vales, estão acontecendo "desmoronamentos de terra freqüentes e de uma intensidade assustadora". "Bem próximo do bairro de Rio Tigre uma verdadeira avalanche de terra desceu de um morro próximo a residências sendo duas delas inteiramente soterradas, em que duas pessoas ficaram debaixo da montanha de lama que desceu abaixo", afirma.

"Para se ter uma idéia, desde o final de agosto chove todos os dias. Começou com trovoadas fortes e rápidas, e da metade de setembro em diante choveu muito. Encharcou o solo e de sete dias para cá, veio o dilúvio: seis vezes mais do que a média histórica só nestes dias. Moro a 1 km da tragédia da mãe que morreu abraçada às filhas, mas outras tantas casas sumiram. Logo à frente, tragédia maior: o morro levou várias casas pro fundo de metros e metros de lama. Há pelo menos 12 soterrados, cinco crianças. Nunca se viu chover tanto", descreve o leitor Gilmar de Oliveira, de Jaraguá do Sul (SC).

Saques

Muitos internautas estão relatando também a ocorrência de saques nas cidades atingidas pelas chuvas. "Estamos sem água há três dias. Na rua da casa do meu sogro metade das casas desabaram e algumas pessoas morreram. Milhares de pessoas estão desabrigadas, corpos são encontrados toda hora e os saques estão freqüentes", conta Rafael Paiotti, de Florianópolis (SC).

"Todo nosso centro está debaixo d'água. Já foi decretado estado de calamidade. Estamos precisando de embarcações agora para evitar saqueamentos, pois é um dos problemas mais recentes", descreve a internauta Cássia Soares, moradora de Itajaí. Cristiane Aguiar, também moradora do município, comenta que "mercados estão sendo saqueados e as casas que foram tomadas pelas águas estão sendo invadidas por delinqüentes".

"Realmente é uma tragédia, é grande o número de estragos causados pelas chuvas, porém muitos se aproveitam desta situação de fraqueza. Vários lugares aumentaram os preços da comida, gás, móveis, colchões, água, bem como estão havendo saques em supermercados, lojas e comércio", relata Rodrigo Bauer, de Balneário Camboriú (SC).

Cidades isoladas

VOCÊ MANDA

  • Gabriela Kuss/UOL

    Foto enviada pela internauta Gabriela Kuss da região da FURB (Fundação Universidade Regional de Blumenau)

Por conta das fortes chuvas, oito municípios de Santa Catarina estão isolados, seis cidades decretaram estado de calamidade pública e sete estão em estado de emergência. Embora não conste da lista da Defesa Civil, o prefeito de Blumenau, João Paulo Kleinübing (DEM), afirmou que decretou estado de calamidade pública no município. O mesmo ocorreu em Itajaí, onde o número de desabrigados e desalojados é de cerca de 15 mil. Jaraguá do Sul também decretou estado de emergência. A moradora de Joinville, Rosa, conta que a situação em sua cidade é crítica. "Estamos em bairros isolados, pois as ruas de acesso estão tomadas pela água, não podemos sair de casa, temos que sair de barco para conseguir atravessar certos pontos", conta.

O internauta Carlos Nogueira, de Blumenau, relata que a cidade está submersa ou pela água ou pela lama. "A situação é caótica. Parece um campo de guerra, não há luz, não há água, nem comércio, estamos sem comprar mantimentos". "Moro em Garuva, a cidade também está isolada, ninguém entra nem sai por conseqüência das barreiras caídas nas rodovias. Nunca vi nada assim, com tamanha intensidade", relata a internauta Maria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos