Taxa anual de desmatamento é sinal amarelo para política ambiental, avalia ONG

Luana Lourenço
Da Agência Brasil
Em Brasília (DF)

O crescimento de 3,8% na taxa anual de desmatamento da Amazônia Legal, divulgado hoje (28) pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) foi uma "surpresa positiva" por representar uma estabilização do ritmo das derrubadas, mas é um sinal de alerta para as políticas públicas ambientais.

A avaliação é do superintendente de conservação da organização não-governamental WWF Brasil, Carlos Alberto Scaramuzza. "Essa estabilização é um sinal amarelo, mostra que as medidas tomadas ao longo dos últimos anos demonstraram efetividade mas estão perdendo o fôlego", avaliou, em entrevista à Agência Brasil.

Scaramuzza citou a restrição de crédito aos produtores com pendências ambientais e medidas de regularização fundiária como prováveis contribuições que evitaram aumentos maiores do desmate na Amazônia Legal. "Havia expectativa de que a taxa fosse muito maior", lembrou.

"É necessário oxigenar as medidas de fiscalização e controle, tornando algumas delas mais estratégicas, garantir uma aplicação mais sistêmica, para que a gente volte a ter taxas de redução como nos anos anteriores", defendeu o representante do WWF.

Na avaliação do Greenpeace, mesmo abaixo do previsto, o aumento da taxa de desmatamento representa retrocessos do controle das derrubadas. "Mesmo sendo baixo, é ruim porque inverte uma tendência de queda, que vinha sendo verificada há três anos", apontou o coordenador da campanha Amazônia da ONG, Paulo Adário.

"A gente já estava prevendo, estávamos avisando o governo há muito tempo: apesar dos dados numéricos de queda mensal, o resultado final ia ser alto", acrescentou.

A retomada de preços das commodities - que aumentam a pressão por novas áreas agrícolas - e falhas na implementação do Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal são apontadas por Adário como causas para o crescimento da taxa anual de devastação. "Dois fatores contribuíram para esse pequeno aumento: mercado e falta de ação política", resumiu.

Os dois analistas defendem a adoção de medidas concretas para chegar ao desmatamento zero.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos