Índios prometem liberar prédio da Funasa até segunda-feira

Do UOL Notícias
Em Manaus (AM)

Os indígenas que invadiram o prédio da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) em Manaus começaram a desocupar o local na sexta-feira (28). Os líderes do movimento prometeram que, até segunda-feira (1º), a sede estará totalmente liberada. A decisão foi tomada na tarde desta sexta-feira após o fim do prazo dado pela Justiça Federal para que os índios deixassem o prédio.

Na segunda-feira, aproximadamente 350 indígenas de 25 etnias invadiram o prédio da Funasa. Armados com arcos e flechas, eles obrigaram todos os servidores a saírem do local e cobraram a presença do coordenador regional do órgão, Pedro Paulo Coutinho, para uma negociação.

A principal reivindicação dos índios (a manutenção dos convênios com a ONG Associação Saúde Sem Fronteiras) não foi atendida. De acordo com a Justiça Federal, a entidade tem problemas com o Tribunal de Contas da União.

Na última quarta-feira (26), a Funasa conseguiu uma liminar na Justiça Federal ordenando a reintegração de posse do prédio. Apesar de terem garantido que iriam resistir à desocupação, os índios optaram por deixar o local de forma pacífica depois de uma reunião entre líderes do movimento com representantes da Funasa em Brasília.

"Nós estamos certos de que a saúde indígena vai deixar de ser atribuição da Funasa. Vão criar uma secretaria especial para cuidar da gente. Diante disso, não tem razão mantermos a ocupação", diz o presidente do Condisi (Conselho Distrital de Saúde Indígena) de Manaus, Warlen Mura.

Nesta sexta-feira, 200 lideranças assinaram uma carta pedindo ao governo federal para que a saúde indígena ficasse fora da esfera de poder da Funasa. "Há muitas denúncias de corrupção e eles não prestam serviço da forma como deveriam. Quem sofre é o nosso povo", diz Jecinaldo Sateré, presidente da Coiab (Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira).

Apesar da manifestação das lideranças, nem a Funasa e nem o Ministério da Saúde se pronunciaram sobre o assunto. A proposta dos indígenas é a criação de uma Secretaria Especial de Saúde Indígena que fosse responsável pela execução das ações de saúde nas aldeias.

Warlen Mura diz que a desocupação do prédio da Funasa será acompanhada por agentes da Polícia Federal, que deverão fazer uma inspeção no local para averiguar danos à estrutura física do prédio e conferir se houve roubo de equipamentos. Esta foi a segunda vez que o prédio da Funasa em Manaus foi ocupado. A primeira foi em janeiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos