Porto de Itajaí recupera 50% da capacidade em 15 dias, avalia superintendente

Luiz Nunes
Especial para o UOL Notícias
De Florianópolis (SC)

  • Wilson Dias/ABr
  • Wilson Dias/Abr

    Imagens da tragédia de Santa Catarina: mobília coloca para secar e menina atendida pelas equipes de resgate

O porto de Itajaí não está permitindo, no momento, a entrada e a saída de navios, e sua reconstrução total levará no "máximo um ano". Em até 15 dias, o porto deve recuperar 50% de sua capacidade operacional.

A avaliação é do superintendente do terminal, Arnaldo Schmidt, e já leva em consideração a medição da calha do rio, realizada ontem. A batimetria, como é chamada tecnicamente a medição, apontou a presença de dois grandes bancos de areia nas proximidades do porto - um de sete e outro de oito metros.

"Qualquer embarcação com mais de sete metros de calado não pode se movimentar", explica o superintendente do terminal, Arnaldo Schmidt. Ainda segundo ele, o prejuízo diário com a paralisação é de cerca de US$ 35 milhões.

Ontem, antes da medição, o governador de Santa Catarina, Luiz Henrique (PMDB), afirmou que o porto de Itajaí poderia ter de esperar por até dois anos para voltar ao nível de atividade que tinha antes das chuvas.

Com as chuvas, um dos berços em que os navios atracam ficou destruído, um foi avariado, um terceiro que nada sofreu e, finalmente, um quarto em construção. A expectativa é que estes dois últimos voltem a operar entre 10 e 15 dias, recuperando 50% da capacidade. Segundo Schmidt, a dragagem deve acontecer também com o porto de Navegantes e o período de liberação deve ser o mesmo.

Outro procedimento que Schmidt espera realizar é a demolição, prevista já antes das cheias e empacada por entraves burocráticos, de dois prédios nas proximidades para a construção do pátio de mercadorias. "Tanto a recuperação quanto a nova obra devem estar prontas em, no máximo, um ano", afirma.

O superintendente avalia que, mesmo que os empresários tenham buscado alternativas, as características dos demais portos não substituem a logística do terminal de Itajaí, o segundo em movimentação no país. "O de Paranaguá (PR) trabalha mais com cargas a granel e os de Imbituba e São Francisco do Sul já funcionam com o máximo de sua capacidade", opina.

O terminal de Itajaí terá à disposição R$ 350 milhões para recuperação da estrutura. O convênio deve ser assinado terça-feira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos