Doações às vítimas das chuvas em SC ultrapassam os R$ 12 milhões

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

Segundo novo balanço divulgado pela Defesa Civil de Santa Catarina nesta terça-feira (2), as doações às vítimas das chuvas no Estado já chegam a mais de R$ 12 milhões. Os depósitos podem ser feitos por meio de nove contas bancárias abertas pelo órgão.
  • Rogério da Silva/Agência RBS

    A queda de uma grande barreira na manhã desta terça-feira interrompeu o tráfego na pista no sentido sul no km 663 da BR-376


Saiba como e o que doar

Até o momento são 116 mortes devido às chuvas. Trinta e uma pessoas seguem desaparecidas. O número de desabrigados começa a diminuir: há registro de 68.927 desabrigados e desalojados; anteriormente eram mais de 78 mil. Entre os municípios afetados, 51 estão em situação de emergência e 14 em estado de calamidade pública.

O governador de Santa Catarina afirmou nesta terça que o Estado deve ter um prejuízo de 15% na arrecadação neste mês devido aos abalos na economia. A estimativa é de que o Executivo deixe de arrecadar R$ 100 milhões, segundo o próprio governador, Luiz Henrique da Silveira.

Segundo o governador, dezenas de indústrias deixaram de operar. "Em Luís Alves, as três grandes empresas locais estão paradas por falta de energia", afirma.

Também nesta terça, a Comissão Externa da Câmara dos Deputados defendeu a moratória de dívidas e tributos federais, para Estados, municípios e empresas que tiveram prejuízos com as enchentes. Os parlamentares também pediram acesso integral aos recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) aos que perderam suas casas por conta das chuvas.

Veja a situação de cada município (para mais informações, passe o mouse sobre a cidade)





Uma vítima está no IML de Itajaí, mas ainda não foi identificada sua cidade de procedência

Plano de ação em SC
Paralelamente aos problemas econômicos, o governo trabalha com um plano de ação para atender às vítimas de deslizamentos de terra e enchentes em Santa Catarina. São quatro as prioridades em nível hierárquico: atender às vítimas, prevenir surtos de doenças, limpar e desobstruir as vias e reconstruir a estrutura em água, luz e estradas. Todas as quatro etapas serão integradas.

Em relação à primeira prioridade, o objetivo é atender, abrigar e dar condição de subsistência às vítimas, além de marcar áreas ameaçadas.

A segunda prioridade visa prevenir surtos de doenças, como a leptospirose. Onze casos de suspeita de contaminação já foram registrados.

A terceira etapa compreende a limpeza e a desobstrução das vias das cidades, o que está previsto para ser concluído até o fim da semana. Segundo o governador do Estado, a medida envolve o repasse de recursos de emergência aos municípios, para que adquiram máquinas e realizem contratações temporárias.

A quarta etapa se refere à reconstrução da estrutura básica. Essa é a que deve levar mais tempo, com a recuperação de linhas de transmissão de energia elétrica, de redes de água e esgoto em curto prazo e do sistema viário em médio prazo.

* Com informações de Luiz Nunes, em Florianópolis (SC)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos