Governo de Santa Catarina prevê perda de 15% na arrecadação

Luiz Nunes*
Especial para o UOL Notícias
de Florianópolis (SC)

Atualizado às 19h43

Em razão dos abalos na economia trazidos pelas fortes chuvas, o governo de Santa Catarina deve ter um prejuízo de 15% na arrecadação neste mês. A estimativa é de que o Executivo deixe de arrecadar R$ 100 milhões, segundo o próprio governador, Luiz Henrique da Silveira.
  • Nelson Antoine/AE

    Helicóptero da FAB entrega mantimentos à população isolada em Benedito Novo

  • Divulgação/PRF

    Um deslizamento de terra interditou a principal ligação do Paraná com SC nesta terça


A Defesa Civil do Estado contabiliza 116 mortes devido às chuvas e 31 pessoas desaparecidas. Mas, em uma contagem extra-oficial, o município de Ilhota aponta 40 desaparecidos apenas na cidade - uma das mais atingidas pelas enchentes. O número de desabrigados no Estado começa a diminuir: há registro de 69.164 desabrigados e desalojados; anteriormente eram mais de 78 mil.

Entre os municípios afetados, 51 estão em situação de emergência e 14 em estado de calamidade pública. As doações às vítimas das enchentes já ultrapassam os R$ 12 milhões por meio das nove contas bancárias abertas pela Defesa Civil.

Saiba como e o que doar

O dano à economia deve ser ainda maior se somados os problemas no fornecimento de gás, água e energia e a perda de maquinário das empresas. "Nós sofremos prejuízos irreparáveis. O gás só deve ser restabelecido no meio deste mês", analisa Silveira.

Segundo o governador, dezenas de indústrias deixaram de operar. "Em Luís Alves, as três grandes empresas locais estão paradas por falta de energia. Domingo, tive que ordenar a retirada de técnicos que trabalhavam no restabelecimento da luz, por causa da situação de risco", lamenta.

Nesta terça-feira, a Comissão Externa da Câmara dos Deputados defendeu a moratória de dívidas e tributos federais, para Estados, municípios e empresas que tiveram prejuízos com as enchentes. Os parlamentares também pediram acesso integral aos recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) aos que perderam suas casas por conta das chuvas.

O governador de Santa Catarina considera que o atendimento às vítimas não pode comprometer a temporada de verão. Ele tem se preocupado em esclarecer que o Estado não está comprometido estruturalmente e pede que os turistas não desmarquem suas reservas sem saber antes da situação da localidade para a qual irão viajar.

Veja a situação de cada município (para mais informações, passe o mouse sobre a cidade)





Uma vítima está no IML de Itajaí, mas ainda não foi identificada a cidade de procedência

Plano de ação em SC
Paralelamente aos problemas econômicos, o governo trabalha com um plano de ação para atender às vítimas de deslizamentos de terra e enchentes em Santa Catarina. São quatro as prioridades em nível hierárquico: atender às vítimas, prevenir surtos de doenças, limpar e desobstruir as vias e reconstruir a estrutura em água, luz e estradas. Todas as quatro etapas serão integradas.

Em relação à primeira prioridade, o objetivo é atender, abrigar e dar condição de subsistência às vítimas, além de marcar áreas ameaçadas. "Contamos com os prefeitos e com um batalhão incrível de voluntários para organizar a distribuição de suprimentos à população", aponta Silveira.

A segunda prioridade visa prevenir surtos de doenças, como a leptospirose. Onze casos de suspeita de contaminação já foram registrados. "Este trabalho está sendo desenvolvido principalmente pelo hospital de campanha", diz o governador, mencionando o uso das 17 toneladas de medicamentos enviadas pelo Ministério da Saúde para dar conta dos atendimentos em diversas regiões.

A terceira etapa compreende a limpeza e a desobstrução das vias das cidades, o que está previsto para ser concluído até o fim da semana. Segundo o governador, a medida envolve o repasse de recursos de emergência aos municípios, para que adquiram máquinas e realizem contratações temporárias.

A quarta etapa se refere à reconstrução da estrutura básica. Essa é a que deve levar mais tempo, com a recuperação de linhas de transmissão de energia elétrica, de redes de água e esgoto em curto prazo e do sistema viário em médio prazo. Nesta terça-feira, o governador esteve em Rio dos Cedros para se reunir e saber das urgências de municípios próximos.

* Com informações do UOL Notícias, em São Paulo

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos