Patrus destaca "presença rápida" do governo federal em Santa Catarina

Da Agência Brasil

O ministro de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, afirmou nesta quinta-feira (4) que o país deve reconhecer "a presença rápida" do governo federal no atendimento às vítimas por meio das Forças Armadas em Santa Catarina.

Santa Catarina volta a receber doações após anunciar falta de espaço

A Defesa Civil de Santa Catarina anunciou no início da tarde desta quinta-feira a volta no recebimento de doações de materiais como alimentos, roupas e colchões. O recebimento estava suspenso desde a noite de quarta-feira (3) devido à falta de espaço para armazenar os produtos.


Ele cobrou ainda maior participação dos governos estaduais e municipais no combate aos desastres naturais como ocorrido no estado, em decorrência da forte chuva dos últimos 90 dias.

"Tem havido muita agilidade, mas é importante criar consciência em relação aos governos estaduais e municipais, evitando o crescimento populacional em áreas de risco. Municípios de uma mesma região também podem ter ações integradas", disse, ao participar de entrevista a emissoras de rádio durante o programa Bom dia, Ministro.

De acordo com Patrus, o Brasil apresentou um crescimento desordenado e um inchaço das grandes cidades durante os anos 60 e 70 e atualmente "paga um tributo pelas agressões praticadas no passado".

"Estive lá e foi uma experiência forte. Estou cada vez mais convencido de que a construção de um país socialmente justo é tarefa do Estado, mas com a participação da sociedade. Há um mutirão de solidariedade e isso nos dá uma esperança muito grande", elogiou o ministro.

Sobre as medidas de longo prazo para atender às vítimas das enchentes e dos deslizamentos, Patrus avaliou apenas que "é difícil pensar em uma legislação permanente" para o tipo de situação em que se encontra Santa Catarina. Ele destacou, entretanto, a necessidade de "fortalecimento" da Defesa Civil em todo o país e da implantação do Estatuto das Cidades.

"Cerca de 85% das pessoas vivem nas cidades. As ações são muito locais e pressupõem a presença do governo local. O ideal é que a gente possa chegar a um ponto de prevenção em que essas situações [de catástrofe] sejam excepcionais. Continuamos em sintonia com o governo federal e com outros ministérios para encontrar outras medidas."

Diante do adiantamento do pagamento do benefício do programa Bolsa Família às pessoas atingidas pelas chuvas em Santa Catarina, o ministro evitou comentar se ocorrerá o mesmo com os brasileiros que sofrem com a seca no Nordeste.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos