Praia de Copacabana é invadida por algas verdes

Da Agência JB
No Rio de Janeiro (RJ)

Os banhistas que foram à praia de Copacabana nesta segunda-feira (8) levaram um susto com a grande quantidade de algas verdes espalhada na areia. Embora sejam vistas como um incômodo pelos banhistas, as algas não representam perigo a saúde humana, garante o ambientalista Mário Moscatelli.

O aumento da luz solar e o aquecimento da temperatura são os ingredientes perfeitos para a proliferação descontrolada da cianobactéria, conhecida como alga.

"Provavelmente, essas algas proliferaram de forma descontrolada devido ao aumento da luz solar e do aquecimento. Os banhistas podem ficar despreocupados que essas algas não representam riscos. São apenas um incômodo visual e físico, mas não causam danos à saúde humana", explica Moscatelli.

Segundo o ambientalista, as únicas algas encontradas em águas do Rio que representam perigo são as da espécie "Microcistys aeruginosa", encontradas nas lagoas da baixada de Jacarepaguá, zona oeste do Rio. A espécie é epactóxica, ou seja, possui substâncias que provocam doenças no fígado humano quando misturada à água.

"Essa alga é perigosa e suas substâncias atacam o fígado humano. O problema é quando essas algas escoam das lagoas em direção à praia da Barra da Tijuca", alerta Moscatelli.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos