Ação de multinacionais contra pirataria fecha shopping 25 de Março em SP

Elisa Estronioli
Do UOL Notícias
Em São Paulo (SP)

A 15 dias do Natal, nove marcas de peso decidiram juntar esforços para entrar com uma ação judicial contra o Shopping 25 de Março pela venda de produtos piratas. São multinacionais de preços não muito acessíveis como Nike, Puma, Adidas, Reebok, Everlast, Chanel, Christian Dior, Louis Vuitton e Levi's. O shopping foi interditado às 7h e a operação deve durar até o fim da tarde.

Das 500 lojas do shopping, por volta da metade está sendo vistoriada para apreensão dos produtos. Segundo Newton Vieira Júnior, advogado que representa seis das nove empresas, a expectativa é que, até o fim da tarde, o material apreendido encha sete caminhões. O material vai para o depósito das empresas vítimas até ordem judicial de destruição.

O shopping receberá uma multa de 50 mil reais por dia de venda de material ilegal. Segundo Vieira Júnior, há como comprovar pelo menos sete dias de atividade ilícita, portanto, a multa pode chegar a, pelo menos, 350 mil reais. Além disso, cada um dos lojistas receberá uma multa de 20 mil reais por dia. "Queremos evitar que o shopping volte a funcionar normalmente após a apreensão", diz o advogado.

Segundo Vieira Júnior, esta é a terceira ação do tipo neste ano, mas a primeira em que os dois escritórios de advocacia, que representam o total de nove empresas, se juntaram. Participam da ação 25 advogados, nove oficiais de justiça, 60 auxiliares de justiça e 70 homens da polícia militar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos