Defesa Civil de Minas Gerais fica em alerta para a possibilidade de novos temporais

Rayder Bragon
Do UOL Notícias
Em Belo Horizonte

A Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais estão em alerta para a possibilidade de ocorrer novos temporais, previstos pela meteorologia a partir de quinta-feira (25), em regiões do Estado anteriormente castigadas pelas chuvas. O número de cidades que decretaram situação de emergência passou de 50 para 53, com a inclusão das cidades de Ponte Nova, Brumadinho e Muriaé. O total de cidades que relataram danos com as chuvas é de 91.

Alerta em Santa Catarina

O Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina informou na manhã desta quarta-feira que a chegada de uma frente fria deve trazer novas pancadas de chuvas em todo o Estado. O alerta contra novos deslizamento é mantido


A temporada de chuvas, que se iniciou no mês de setembro, provocou a morte de 13 pessoas e ferimentos em 290 vítimas. Até o momento, 5.992 pessoas estão desabrigadas e 56.668 estão desalojadas, ou seja, foram para casa de parentes ou vizinhos. A defesa civil informa que 288 casas foram destruídas, além de 20.783 residências que sofreram danos. Ainda de acordo com o órgão, 32 pontes ruíram e 23 apresentaram algum tipo de ruptura. No Estado, 282 mil pessoas foram afetadas de alguma forma pelos temporais da semana passada.

O anúncio de mais temporais, segundo a meteorologia, vale para as regiões Centro-Oeste e Triângulo Mineiro e Sul de Minas e Zona da Mata.

A defesa civil declarou ter 12 equipes de prontidão, e helicópteros das polícias Militar, Civil e dos bombeiros poderão ser usados em casos de emergência.

O coronel Celso Borges, comandante operacional do Corpo de Bombeiros, enumerou em 1.400 o efetivo da corporação que foi mobilizado. As barragens de Minas estão merecendo atenção especial porque há previsão de mais chuvas no Estado.

"Nós temos um trabalho que estamos desenvolvendo de forma antecipada com os engenheiros e responsáveis pelas barragens para que nesse momento nós tenhamos uma coordenação efetiva dos volumes que estão sendo recebidos nessas barragens", disse.

O coronel revelou que, se houver a necessidade de abertura de alguma barragem para dar vazão à água estocada, ela será precedida de aviso às populações afetadas pelas águas. Segundo Borges, existem de 600 a 700 barragens cadastradas na Feam (Fundação Estadual do Meio Ambiente).

As cidades que foram mais atingidas pelas cheias de rios estão sendo monitoradas. "Os nossos trabalhos estão sendo concentrados principalmente nas áreas de risco, nós temos (as cidades) Belo Vale, Brumadinho, Divinópolis e a região da Zona da Mata", contou.

Borges ainda revelou planejar o manejo do volume de águas das barragens na época da estiagem para que, em caso de outros temporais, as barragens suportem o volume, que geralmente aumenta abruptamente.

Prorrogação de contas e linha de crédito e previsão de mais chuvas
Na terça-feira (23), o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), anunciou medidas para tentar miminizar os prejuízos de moradores e empresas das regiões afetadas pelas chuvas da semana passada.

Ele determinou a prorrogação por 60 dias do pagamento de contas de água e luz de moradores e empresas das cidades que declararam situação de emergência e que são atendidas pela Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) e pela Copasa (Companhia de Saneamento de Minas Gerais). Não haverá interrupção de energia elétrica em caso de atraso no pagamento, segundo o governo estadual.

O tucano alerta para novos temporais sobre regiões anteriormente castigadas pelas águas. "A meteorologia, infelizmente, nos avisa que é possível que tenhamos fortes chuvas a partir da próxima quinta-feira, nessas regiões já atingidas, Zona da Mata, Triângulo Mineiro, região Sul do Estado e também na região Oeste", disse Aécio.

Além da extensão do prazo, o governador anunciou uma linha de crédito para socorrer as empresas dessas localidades que tiverem danos causados pelos temporais. Os empréstimos serão a partir de R$5 mil e com teto de R$180 mil. O prazo para ressarcimento do erário será de três anos, com juros de 6% ao ano. As empresas (micro, pequenas e médias, inclusive cooperativas) deverão solicitar ao BDMG (Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais) até o dia 30 de abril de 2009. Segundo Aécio, o aporte primário será de R$30 milhões, podendo chegar a R$50 milhões.

Para ele, ações articuladas entre as prefeituras e o governo estadual são necessárias para o enfrentamento deas consequências de novos temporais. "É absolutamente fundamental que todos estejam em alerta. A Defesa Civil (Estadual) está em contato direto com cada um dos prefeitos dessas cidades para que a ação da prefeitura seja coordenada com a ação do governo do Estado", frisou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos