Cruzeiro que ficou retido pela vigilância sanitária na Bahia é liberado

Heliana Frazão
Especial para o UOL Notícias
Em Salvador (BA)

Depois de mais de 40 horas sem permissão para deixar o porto de Salvador por determinação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o navio MSC Sinfonia retornou no início da noite desta quinta-feira (8) para o Rio de Janeiro, levando 2.050 pessoas, entre passageiros e tripulantes. O navio ficou retido em território baiano porque 380 pessoas tiveram enjôos, crises de vômito, diarréia e dores abdominais.
  • Romildo de Jesus/Agência Estado

    Navio Sinfonia, da empresa MSC, ficou atracado em Salvador por mais de 40 horas para inspeção da vigilância sanitária


Análise preliminar feita por agentes da Anvisa detectaram irregularidades no armazenamento de alimentos e na quantidade de cloro colocada na água para a fabricação de gelo, mas os resultados oficiais dos exames somente serão divulgados na semana que vem. O navio somente recebeu a permissão para seguir viagem depois que a tripulação se comprometeu a oferecer apenas água mineral aos passageiros, além de frutas e legumes.

A embarcação é a mesma em que uma pessoa deficiente física de 32 anos morreu, na segunda-feira (5), a caminho do Recife (PE). Entretanto, segundo a Anvisa, a morte se deu por causas naturais e não há relação com a suspeita de intoxicação que acometeu os demais passageiros.

Temendo a persistência dos sintomas, 16 pessoas resolveram abandonar o navio e seguir viagem de avião. Inconformados com os problemas ocorridos durante a viagem, eles disseram que pretendem entrar na Justiça para obter de volta o dinheiro pago pelo cruzeiro.

A Vigilância Epidemiológica da Bahia foi acionada porque, entre os passageiros, havia um funcionário do órgão, que telefonou informando sobre o ocorrido.

Passageiro relata situação

O empresário paulista Oswaldo Feltrin, que está no cruzeiro, afirma que o problema maior dentro do MSC Sinfonia foi a falta de informação aos passageiros


Em nota, a empresa responsável pelo cruzeiro informou que somente 38 passageiros foram atendidos em seu posto médico, número considerado normal e rotineiro.

Entretanto, de acordo com a Secretaria de Saúde da Bahia, "após solicitação aos viajantes, com um ou mais sintomas, que se encaminhassem ao serviço médico de bordo para avaliação e preenchimento de questionário específico para este tipo de evento, 380 passageiros o fizeram e mais 40 foram atendidos no hospital de bordo".

Com cerca de 230 metros de comprimento, a embarcação deixou o Rio de Janeiro no último dia 2 e, antes de chegar a Salvador, passou por Maceió e Recife. O navio, considerado de alto luxo, tem 777 cabines, restaurantes, duas piscinas e cassino. Em seu site, a empresa oferece pacotes que custam entre US$ 400 e US$ 2.500.

Por medidas de segurança, durante a inspeção realizada no navio, a empresa retirou da embarcação as crianças, gestantes e idosos. Uma passageira, de 87 anos, teve de ser levada para um hospital particular, mas recebeu alta depois de permanecer duas horas em observação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos