Sobe para 66 número de municípios em situação de emergência por causa das chuvas em MG

Rayder Bragon
Especial para o UOL Notícias
Em Belo Horizonte (MG)

Os municípios que decretaram situação de emergência em Minas Gerais por causa das chuvas passaram de 61 para 66 nesta quinta-feira (8). Outras 35 cidades já declararam danos com os temporais que se iniciaram em setembro do ano passado, totalizando 101 municípios que sofrem algum tipo de estrago devido às chuvas. Minas Gerais tem 853 municípios.

As enchentes já mataram 24 pessoas, 20 somente no mês de dezembro de 2008, e feriram 295. A Defesa Civil Estadual ainda não contabilizou os últimos números relatórios dos municípios e informa que 6.235 pessoas estão desabrigadas e 56.758 desalojadas, ou seja, foram enviadas para casas de parentes ou vizinhos.

As cidades de Tabuleiro, Alto Jequitibá e Espera Feliz (Zona da Mata), além de Maria da Fé (Região Sul) e Governador Valadares (Região do Rio Doce) foram as últimas reconhecidas pela Defesa Civil do Estado como localidades em situação de emergência.

Manhuaçu e Carangola, na Zona da Mata, estão entre as mais atingidas, no momento, pelas cheias dos rios que cortam os municípios. Segundo dados atualizados do Corpo de Bombeiros, mais de 100 pessoas estão desabrigadas e 8.000 estão desalojadas em Manhuaçu. O governador de Minas, Aécio Neves (PSDB) anunciou que irá visitar à tarde o município.

Em Carangola, cerca de 7.000 pessoas estão desalojadas. Bombeiros retiraram cerca de 300 pessoas que estavam ilhadas por causa dos temporais que caíram na região desde o último domingo.

Segundo a corporação, dois helicópteros sobrevoaram a cidade em busca de pessoas retidas pelas águas do rio Carangola, que alagou seis bairros da cidade. Na mesma região, as cidades de Alto Jequtibá e Manhumirim também tiveram áreas inundadas.

Em Governador Valadares, o Corpo de Bombeiros informou que cerca de 7.000 pessoas estão desalojadas e 100 desabrigadas em virtude da cheia do rio Doce, que alagou sete bairros.

Capital
Em Belo Horizonte, há o temor de a retenção de veículos aumentar no trecho interditado da Avenida Tereza Cristina com o fim das férias escolares de janeiro. Cerca de 40 mil veículos passam pelo local diariamente. Há desvios e as obras vão demorar 30 dias, segundo a Sudecap (Superintendência de Desenvolvimento da Capital).

No último dia de 2008, cinco pessoas morreram, entre elas uma criança de três anos, após o rio Arrudas ter transbordado e arrasado a região oeste da cidade, no entorno da Avenida Tereza Cristina, além do bairro Barreiro.

O prefeito Marcio Lacerda (PSB) anunciou medidas para ajudar os moradores afetados, aproximadamente 316 famílias. Ele irá decretar situação de emergência no perímetro da cidade afetado pela chuva para que as pessoas possam sacar parte do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para a reposição dos bens perdidos. Outra medida será a renúncia neste ano pela prefeitura do valor do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) das casas afetadas pelo temporal e a devolução do valor pago em 2008.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos