Apesar de protesto, 10 imóveis são demolidos na Cidade de Deus

Da Agência JB
No Rio de Janeiro

De nada adiantou o protesto de moradores da Cidade de Deus. Com o apoio de cerca de 100 policiais militares do 18º BPM (Jacarepaguá), Batalhão de Choque e Batalhões de Operações Especiais (Bope) uma retroescavadeira da prefeitura deu prosseguimento à operação de ordenamento do espaço público, iniciada na sexta-feira passada com a demolição de 38 puxadinhos na favela.

Cerca de 10 imóveis foram demolidos na tarde desta segunda-feira (12). Segundo estimativa da PM, aproximadamente 60 imóveis devem ser derrubados nos próximos dias de operação. De acordo com a polícia, os comércios ilegais serviam como braço do tráfico de drogas da localidade. Durante a operação de hoje, foi preso Carlos Alberto Luzia de Oliveira, 23 anos, conhecido como Betinho da Quinze. Ele tem várias passagens policiais, entre elas, tráfico e roubo, e estava com 50 sacolés de cocaína. O preso foi levado para a 32ª DP (Taquara).

O prefeito eleito do Rio, Eduardo Paes, comentou a situação na Cidade de Deus e confirmou a ação conjunta com o Estado. "É importante que a prefeitura entre em conjunto. Portanto, se tudo caminhar bem, como vem acontecendo, nós vamos fazer muitos investimentos. Eu pedi ao secretário municipal de Obras, Luiz Antônio Guaraná, para fazer um levantamento. Não existe nada pronto ainda, mas as intervenções principais para recuperar a Cidade de Deus são: pavimentação, praças, iluminação e colocação de equipamentos públicos. Tudo que for de competência da prefeitura, a população merece receber", confirmou Paes.

Mais cedo, por volta das 11h, três reboques da prefeitura retiraram carcaças de veículos abandonados na avenida Cidade de Deus - algumas delas estavam jogadas no valão que margeia a via.

"Quebraram um pedaço da minha calçada no momento de rebocarem um carro. O piso foi caro e deveriam ter mais cuidado com as ações", reclamou o morador Eunábio Gerônimo de Souza, de 49 anos, que trabalha como motorista de ônibus. "Apóio as operações da polícia, mas sou trabalhador, conservo a frente da minha casa e tenho direito de reclamar sem desacatar ninguém. Peço inclusive para minha família não se meter e deixar os policiais fazerem o trabalho deles".

O 18º BPM (Jacarepaguá) ainda não confirmou se acontecerá o incêndio induzido para acabar com a mata utilizada por traficantes como esconderijo. No início da tarde, uma retroescavadeira derrubou várias construções à beira do Canal, bares e uma cooperativa.

"Estou sem emprego, ganhava dois salários e trabalhava na administração da cooperativa. Agora estou sem nada. Não tivemos qualquer aviso. Vou ver se posso recolher algo que sobrou nos escombros", protestou Paulo Cézar da Cruz, 37 anos.

Apesar da confirmação do comando do 18º BPM de que as residências não seriam derrubadas, no momento da demolição dos estabelecimentos comerciais, centenas de moradores se aglomeravam com cartazes em frente a retroescavadeira.

Ocupada por policiais desde o fim do ano passado, a Cidade de Deus foi alvo na sexta-feira passada de uma operação de ordenamento. Por determinação policial, a prefeitura demoliu 38 imóveis irregulares, seis carcaças de carros foram rebocadas e quatro motos foram apreendidas. Uma família foi conduzida para um abrigo da prefeitura. A Polícia Militar também apreendeu 116 tabletes de maconha e prendeu, na localidade conhecida como Karatê, um adolescente de 16 anos por atividade suspeita. O jovem foi levado para a 41ª DP (Tanque).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos