Justiça condena 11 integrantes da máfia dos caça-níqueis do Rio

Da Agência Brasil
No Rio de Janeiro (RJ)

A Justiça Federal no Rio de Janeiro condenou 11 pessoas acusadas de integrar a máfia dos caça-níqueis que agia no Estado, entre elas cinco policiais. As penas, determinadas pela 4ª Vara Federal Criminal, variam de quatro a 18 anos de reclusão em regime fechado.

Segundo nota divulgada pela Ministério Público Federal, que entrou com a ação na Justiça, Fernando Iggnacio e Rogério Andrade foram condenados a 18 anos, por formação de quadrilha armada, corrupção ativa e contrabando. Os dois são acusados de chefiarem grupos criminosos rivais.

Também foram condenados três policiais civis, Helio Machado da Conceição, Fábio Menezes de Leão e Jorge Luís Fernandes, que tiveram as penas de sete anos de prisão e perda da função na Polícia Civil fluminense. Eles seriam ligados, segundo o Ministério Público, à quadrilha de Rogério Andrade.

Já o coronel da Polícia Militar Celso Lacerda Nogueira, ex-comandante do Batalhão de Bangu, na zona oeste, foi acusado de participar da quadrilha de Fernando Iggnacio. O oficial foi condenado a sete anos de prisão e perda da função pública.

Também foram condenados o policial civil Paulo César Oliveira, o ex-policial federal Paulo Cezar Ferreira do Nascimento, e três contadores dos grupos. Segundo o Ministério Público, outras 32 pessoas são acusadas de participarem dessas quadrilhas.

Os 11 condenados poderão apelar da sentença em liberdade, mas o Ministério Público Federal já anunciou que vai recorrer da decisão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos