Belém terá 230 agentes da Força Nacional durante Fórum Social Mundial

Da Agência Brasil

Uma parceria entre a Força Nacional e a Polícia Militar do Pará foi montada para garantir a segurança dos participantes do Fórum Social Mundial em Belém. O evento, que começa no próximo dia 27, deve reunir 120 mil pessoas.

Duzentos e dezoito homens da Força Nacional já estão trabalhando na capital paraense e, até o dia do evento, o efetivo será de 230 agentes. Segundo informou o Ministério da Justiça, a Força atuará no "reforço do policiamento de proximidade". Eles estarão concentrados nos bairros de Guamá e Terra Firme, áreas periféricas da cidade com índices elevados de violência, além do centro e das docas.

Cães farejadores, um helicóptero e equipamentos antibomba serão utilizados pela Força nos trabalhos de localização de artefatos explosivos, drogas, além da prevenção de outros crimes. O efetivo permanece em Belém até o fim do encontro.

Além da Força Nacional, haverá 7.000 agentes de segurança atuando na região metropolitana de Belém. O policiamento fluvial contará com cinco bases que serão atendidas por 17 barcos. Uma sala operacional terá 38 câmeras de monitoramento distribuídas pela cidade, 20 delas no território das universidades que sediarão o Fórum.

De acordo com o coronel Mário Solano, do comando de Missões Especiais da Polícia Militar do Pará, a prioridade será uma ação preventiva, já que o encontro tem caráter pacífico.

"Teremos policiais na rua ostensivamente, abordando os transeuntes e orientando a população quanto à questão do cumprimento da lei. No local onde vai ocorrer a maior parte dos eventos, teremos reforço maior de policiamento, porém não esquecendo que toda a população da região metropolitana também será atendida", afirmou em entrevista à Rádio Nacional da Amazônia.

Segundo o coronel, mais de 200 pistolas Teiser serão usadas na semana do Fórum. Essa arma emite ondas que interrompem a comunicação do cérebro com o corpo. Quando disparada, a pistola imobiliza o agressor pelo tempo suficiente para que o policial possa algemá-lo. Cerca de 100 dessas armas foram doadas à Polícia Militar do Pará e vão permanecer no estado após o encontro.

Os agentes da Polícia Militar estão aproveitando a presença da Força Nacional para aperfeiçoar técnicas de combate e trocar informações. Segundo o coronel Solano, a polícia está preparada para lidar com evento de grande porte. "Teremos um tratamento ordeiro, justamente de receber as pessoas da melhor forma possível, com respeito, com educação, com a atenção que todas as pessoas merecem", afirmou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos