Após sofrer com enchentes, Belo Horizonte-MG já registra 20 casos confirmados e 321 suspeitos de dengue

Rayder Bragon
Especial para o UOL Notícias
Em Belo Horizonte (MG)

Na esteira das fortes chuvas que atingem Belo Horizonte (MG) desde o final do ano passado, a capital mineira começa a registrar os primeiros casos de dengue. Até o momento, 20 pessoas contraíram a doença, que fez o maior número de vítimas na zona Norte da cidade, com 9 registros, segundo informou a secretaria de Saúde da capital. Ao todo, 395 casos foram notificados no município e, desse total, 321 ainda estão sob análise.

120 municípios decretam emergência em MG

As fortes chuvas que atingiram Minas Gerais causaram o transbordamento do rio Piracicaba, que inundou parte dos municípios Rio Piracicaba e Alvinópolis na terça-feira (27). Nesta quarta, a Defesa Civil informou que 120 municípios já decretaram situação de emergência desde setembro do ano passado devido às chuvas, que atingiram 166 cidades em todo o Estado


Os constantes temporais e a alta temperatura dessa época são apontadas como indicadores para risco de a cidade enfrentar uma epidemia da doença. Além disso, duas enchentes em menos de um mês (31 de dezembro do ano passado e 22 de janeiro deste ano) contribuíram para a proliferação de criadouros do mosquito transmissor em regiões da cidade.

Para agravar a situação, dados coletados neste mês por agentes de saúde da prefeitura revelam que o índice de infestação larvária (estágio inicial do mosquito transmissor) está em 3,9%, ou seja, a cada 100 domicílios vistoriados, quase 4 apresentaram criadouros da doença. O número está próximo à taxa considerada como risco de epidemia pelo Ministério da Saúde, que é de 4%.

Vítimas de leptospirose

Doença ameaça moradores de áreas que foram inundadas; três mortes foram contabilizadas



Em alguns locais, a porcentagem encontrada supera a média da capital. Em Venda Nova, bairro da zona Norte, o número fechou em 5,7%. Outras duas regiões; Leste (4,8%) e Pampulha (4,5%) também apresentaram níveis elevados. No ano passado, o índice ficou em 1,9% nessa mesma época do ano.

A bióloga Fernanda Menezes, da gerência de controle de zoonozes da prefeitura, revela que a capacidade de reprodução do mosquito em pequenos recipientes é uma das causas da proliferação do transmissor. O órgão é responsável pelo combate e controle dos focos de dengue.

"Nós espalhamos armadilhas pela cidade para monitorarmos a incidência do mosquito vetor em cada região. Para se ter uma ideia, em um recipiente que se assemelha a um copo de 300 ml já encontramos cerca de 1.900 ovos depositados pela fêmea do mosquito", revela.

Dengue preocupa população do Rio



Para ela, o fato de mais de 50% dos criadouros estarem em residências aumenta o risco de epidemia. "As pessoas estão bem-informadas, mas essa informação não gera uma mobilidade no sentido delas limparem seus quintais e descartarem os objetos que servem como depósito para os ovos", contou.

A bióloga diz não entender a falta de empenho da população para não criar ambientes propícios para o mosquito da dengue se proliferar. "Já foi feita uma pesquisa que revelou ser de 100% o grau de conhecimento das pessoas sobre os malefícios da dengue e como combatê-la, mas até agora não descobrimos porque há esse buraco entre a informação e a ação", disse.

De acordo com a secretaria, 1.200 agentes estão nas ruas para vistoriar os imóveis. Em 2008, foram constatados 12.823 casos, sendo que três pessoas morreram.

Dengue no Estado
Na região Leste do Estado, uma das áreas onde foram contatados altos índice de infestação da larva do Aedes aegypti (transmissor), um homem morreu na cidade de Coronel Fabriciano (198 km de BH) sob suspeita de dengue hemorrágica, a evolução mais grave da doença.

O laudo sobre a causa do óbito deverá ser concluída em 30 dias pela Fundação Ezequiel Dias, em Belo Horizonte, para onde foram remetidos os exames da vítima, de acordo com dados da secretaria Estadual de Saúde.
Na mesma região, Em Ipatinga (209 km de BH), uma adolescente de 13 anos está internada com sintomas da forma mais grave da doença.

Neste ano, 467 casos da doença foram notificados pela secretaria Estadual de Saúde. Em 2008, 78.650 casos da foram notificados e 12 pessoas morreram no Estado, informou o órgão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos